Iene forte reduz expansão das exportações japonesas em agosto

Desaceleração acende a preocupação de que a economia do Japão venha a se enfraquecer mais no futuro 

Hélio Barboza, da Agência Estado,

27 de setembro de 2010 | 08h38

O crescimento das exportações japonesas desacelerou em agosto por causa da valorização do iene e da diminuição da demanda externa, acendendo a preocupação de que a economia do país venha a se enfraquecer mais no futuro. Embora a demanda ainda sólida pelo aço e por outros produtos japoneses na Ásia tenha puxado a alta geral de 15,8% nas exportações do país em relação a agosto do ano passado, o aumento foi menor do que os 23,5% de julho e também ficou abaixo da previsão de 17,9% apontada numa pesquisa da Dow Jones com economistas.

As exportações totalizaram 5,224 trilhões de ienes (US$ 62,02 bilhões) no mês, segundo informou o Ministério das Finanças. "A força do iene certamente foi um fator na desaceleração das exportações em agosto", disse um funcionário do Ministério. Em média, a taxa de câmbio do dólar em relação ao iene em agosto foi de 86,37 ienes por dólar, 9,1% abaixo dos 94,97 ienes por dólar do mesmo período do ano passado, de acordo com os dados do Ministério.

Em bases ajustadas sazonalmente, as exportações caíram 2,3% em relação ao mês anterior, no quarto mês consecutivo de queda. O superávit comercial diminuiu 37,5% em relação a agosto de 2009, para 103,2 bilhões de ienes (US$ 1,225 bilhão), a primeira queda em 15 meses. O resultado ficou abaixo da expectativa de um superávit de 200 bilhões de ienes, numa pesquisa das agências Dow Jones e Nikkei com economistas. O superávit menor veio também como consequência de um aumento de 17,9% nas importações em relação ao total de agosto do ano passado, para 5,121 trilhões de ienes (US$ 60,79 bilhões), devido aos aumentos nas compras de gás natural liquefeito e minério de ferro.

Os embarques para os EUA aumentaram apenas 8,8% sobre os de agosto do ano passado, para 776,1 bilhões de ienes, desacelerando dos 25,9% de crescimento observados em julho, quando o total chegou a 972,5 bilhões de ienes. As exportações para a China, maior parceiro comercial do Japão, aumentaram 18,5%, para 1,048 trilhão de ienes, enquanto as exportações para a Ásia como um todo tiveram expansão de 18,6%, para 3,053 trilhões de ienes. A despeito da relativa força da demanda pelos produtos japonesas na China, as exportações para o vizinho asiático também cresceram mais lentamente em agosto, abaixo dos 22,7% de julho, quando chegaram a 1,157 trilhão de ienes. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.