IFF: fundos de resgate não conseguem salvar zona do euro

Os fundos de resgate da zona do euro hoje são insuficientes para socorrer economias maiores do bloco, disse neste domingo o Instituto de Finanças Internacionais (IIF). Em seu relatório mensal, o IFF afirmou que, após a decisão da zona do euro de fornecer até 100 bilhões de euros para a Espanha apoiar seus bancos em dificuldades, os fundos de resgate do bloco têm recursos de apenas 251 bilhões de euros.

RENAN CARREIRA, Agencia Estado

17 de junho de 2012 | 10h04

"Isso significa que os fundos de resgate do Eurogrupo vão ter recursos suficientes para ajudar economias pequenas, como o Chipre, porém escassos para lidar com uma economia mais robusta", disse o IFF. A instituição afirmou ainda que os fundos de resgate vão aumentar em novembro, quando membros da zona do euro farão contribuições adicionais para o Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês), o fundo de resgate permanente da zona do euro.

O IFF repetiu sua avaliação de que a zona do euro precisa se mover em direção a uma "união bancária", ou a um caminho compartilhado para socorrer bancos em dificuldades. Afirmou ainda que a ajuda para os bancos espanhóis por meio do governo, em vez de diretamente nas instituições, "valida a preocupação dos investidores sobre a ligação entre o fraco soberano e o balanço dos bancos". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IFFresgatefundos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.