Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Iglesias diz que setor privado deve buscar alternativas

O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Enrique Iglesias, afirmou há pouco que o setor privado brasileiro não precisa olhar só para o dinheiro do BID, mas deveria tentar alavancar recursos nos mercados interno e externo. "Essa é nossa mensagem fundamental para vocês", disse o executivo do BID para cerca de 100 empresários do setor durante um evento na sede da Associação Brasileira da Infra-Estrutura e Indústria de Base (Abdib), da qual participou o ministro do Planejamento, Guido Mantega. Iglesias faz a afirmação em resposta a uma reivindicação do presidente da Associação, José Augusto Marques. Ele disse ao presidente do BID que o Brasil precisa de US$ 20 bilhões por ano para financiar o setor de infra-estrutura, caso contrário o País não vai andar e não vai crescer.Abdib aponta alternativasLogo depois do evento, o presidente da Abdib atenuou seu discurso e disse à Agência Estado que o BID é uma das alternativas para captar recursos e que o setor vai tentar obtê-los também na Corporação Andina de Fomento (CAF) e o Banco Mundial (Bird). "Precisamos de dinheiro, senão o Brasil não vai conseguir sequer exportar sua produção agrícola", afirmou ele. Indagado sobre quanto o setor capta atualmente, Marques respondeu que em 2002 foram US$ 14 bilhões, embora estimasse captar US$ 22 bilhões. "É pouco, já que aí tem um buraco de mais de US$ 6 bilhões e isso vai se acumulando a cada ano", respondeu o executivo. Ele acredita que este ano o setor de infra-estrutura conseguirá financiamentos de um pouco mais de US$ 15 bilhões. Marques sugeriu então ao presidente do BID a criação de um grupo de trabalho conjunto para encontrar formar de alavancar maiores volumes de recursos para o setor. "Precisamos de instrumentos para agilizar os processos. Temos pressa, já que a qualidade de vida e a inclusão social estão diretamente ligados ao desenvolvimento de infra-estrutura no País", disse Marques.Iglesias rebateu ainda afirmando que de cada dólar que o BID financia são alavancadas pelo menos outros 6 dólares para os projetos aprovados por essa instituição. Com isso ele quis dizer que do US$ 1 bilhão destinado para as exportações dos países latino-americanos poderão ser alavancados quatro ou cinco vezes mais. Em tom de comemoração, Marques disse então que o setor de infra-estrutura conseguisse US$ 3 bilhões que atingiria um montante de pelo menos US$ 18 bilhões dos 20 bilhões que o setor precisa. Iglesias comentou ainda que é necessário unir esforço e experiência (governo, setor privado e BID) para obter melhores resultados.

Agencia Estado,

27 de maio de 2003 | 14h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.