IGP-10 de janeiro fica em 0,26%

O IGP-10 de janeiro ficou em 0,26%, de acordo com a Fundação Getúlio Vargas. O Índice de Preços por Atacado (IPA) fechou em 0,03%, o IPC em 0,73% e o INCC, em 0,32%. No IPC, os grupos que mais subiram foram Educação, Leitura e Recreação, com 1,54%; Alimentação, com 1,30%; e Saúde e Cuidados Pessoais, com 0,94%. O único grupo com deflação no IPC foi o de Transportes, cuja variação foi de -0,33%. A gasolina foi o item que maior influência de baixa teve no IPC, com queda de 2,46%. No atacado, o preço da gasolina caiu 4,42%.A maior influência de baixa no IPA, porém, foi da soja, com impacto de 0,21 ponto porcentual provocado por uma redução no preço de 8,20%. Os três itens que mais influência tiveram na alta do IPC foram curso superior (+3,53%), tomate (+24,34%) e gás de botijão (+3,40%). No IPA, os itens que mais influência tiveram na alta do IPA foram ovos (+18,40%), aves (+9,35%) e tomate (+28,65%). Os bens de consumo no IPA apresentaram alta de 1,93% e os bens de produção tiveram deflação de 0,53%.Os produtos agrícolas no atacado tiveram alta de 1,73% e os produtos industriais mostraram queda de preço de 2,20%. No INCC, os materiais e serviços subiram em média 0,59% e a mão-de-obra, 0,03%. Em doze menos, o IGP-10 acumula 10,36% e o IPC, 7,96%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.