IGP-10 sobe para 1,50% (1,24% em maio)

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) de junho ficou em 1,50%, segundo informou nesta segunda-feira a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em maio, o IGP-10 tinha registrado 1,24%. A variação ficou dentro das expectativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, que apontavam para um resultado entre 1,10% a 1,53%.O Índice de Preços no Atacado (IPA) do IGP-10 teve alta de 1,77% ante 1,62% observado no IPA-10 de maio. No atacado, os produtos agrícolas tiveram alta de 2,27% e os produtos industriais registraram aumento de 1,58%. No varejo, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10) ficou em 0,72%, ante 0,44% registrado no mesmo indicador em maio. Já o Índice Nacional do Custo da Construção (INCC) teve alta de 1,69% ante 0,70% observado em maio.No ano, o IGP-10 acumula alta de 6,71%; no acumulado dos últimos 12 meses, o indicador registra elevação de 8,99%. AtacadoNo atacado, os bens de consumo apresentaram alta de 1,41% no âmbito do IGP-10 de junho. O resultado foi superior ao registrado em maio, quando os bens de consumo atingiram alta de 0,93% no atacado.Já os bens de produção registraram alta de 1,94% no âmbito do IPA-10, ante os 1,97% observados em maio.Por produtos, as mais expressivas altas no atacado, no IGP-10 de junho, foram observadas em óleo combustível (11,44%); leite in natura (5,8 3%); café em coco (11,51%) e aves (6,04%). Por sua vez, as mais significativas quedas foram observadas em soja (-10,55%); laranja (-7,65%) e algodão em caroço (-12,68%). VarejoNo varejo, os preços do grupo Alimentação passaram de alta de 0,40% em maio para elevação de 1,39% em junho. Além de Alimentação, somente outro grupo apresentou aceleração de preços no mesmo período, no varejo. É o caso de Transportes, que passou de 0,04% para 0,46%, no âmbito do IPC-10. Todos os outros cinco grupos no varejo apresentaram desaceleração de preços de maio para junho. É o caso de Habitação (de 0,46% para 0,39%); Vestuário (de 1,03% para 0,94%); Saúde e Cuidados Pessoais (1,01% para 0,91%); Educação, Leitura e Recreação (de 0,03% para -0,04%) e Despesas Diversas (de 0,45% para 0,34%).Por produtos, as mais expressivas altas no varejo foram observadas em ajudante especializado (2,22%); servente (2,15%) e aço (3,95%). Já as mais significativas quedas foram observadas em melão (-46,49%); banana prata (-7,30%) e laranja pera (-4,94%). No âmbito do INCC-10, que engloba o setor da Construção Civil, houve alta expressiva no segmento de mão-de-obra (de 0% para 2,20%) de maio para junho. Porém, houve desaceleração na variação de preços do segmento de materiais e serviços (de 1,33% para 1,25%).

Agencia Estado,

21 de junho de 2004 | 08h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.