IGP-DI aponta deflação de 0,06% em fevereiro

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) caiu 0,06% em fevereiro, ante alta de 0,72% em janeiro, segundo divulgou nesta terça-feira a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O resultado anunciado ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado (-0,11% a +0,05%), mas abaixo da mediana projetada de -0,01%. A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-DI de fevereiro: o Índice de Preços por Atacado (IPA), que recuou de 0,81%, em janeiro, para -0,12%, em fevereiro; o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), de 0,65% para 0,01%, e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), de 0,34%, em janeiro, para 0,19%, em fevereiro. O período de coleta de preços para o IGP-DI de fevereiro foi do dia 1º a dia 28 do mês passado. AtacadoEntre os preços por atacado, que representam 60% da composição do IGP-DI, a taxa de variação dos Bens Finais recuou de 0,57%, em janeiro, para 0,50%, em fevereiro. A principal contribuição para a desaceleração partiu do subgrupo combustíveis, cuja taxa passou de 3,79%, em janeiro, para 2,51%, em fevereiro. O índice de Bens Finais, obtido após a exclusão de alimentos in natura e combustíveis para consumo, registrou variação de 0,08%, desacelerando-se 0,23 pp em relação a janeiro, quando a taxa havia sido de 0,31%. O índice relativo a Matérias-Primas Brutas, que compõe o IPA, apresentou variação de -1,06%, 2,12 ponto porcentual abaixo da taxa observada no mês anterior, que foi de 1,06%. Os principais destaques para este movimento, segundo a FGV, foram os itens: soja (em grão), de 0,94% para -4,22%; café (em grão), de 17,15% para -5,07%; arroz (em casca), de -2,15% para -11,72%; e milho (em grão), de 4,8% para 0,37%. Em sentido oposto, atenuando a desaceleração de preços das Matérias-Primas Brutas, destacaram-se: tomate, de -37,44% para 4,72%; mandioca, de -3,08% para 6,18%; e bovinos, de -3,38% para -1,71%. VarejoNo varejo, o Índice de Preços ao Consumidor - Disponibilidade Interna(IPC-DI) variou para 0,01%, 0,64 ponto porcentual abaixo da taxa apurada no mês de janeiro, que foi de 0,65%. O IPC-DI representa 30% do total do IGP-DI. Todas as sete classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação. As maiores contribuições para a redução do índice partiram dos grupos Alimentação e Educação, Leitura e Recreação. No primeiro caso, as desacelerações observadas nas taxas dos itens frutas, de 5,58% para 1,84%; hortaliças e legumes, de -0,54% para -3,88%; e arroz e feijão, de 2,87% para 0,14%, contribuíram para a redução da taxa do grupo. No segundo caso (Educação) a principal contribuição para a baixa partiu do item cursos formais, cuja taxa recuou de 4,79% para 0,25%. O título deste texto foi alterado às 12h21

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.