IGP-DI de abril ficou em 0,70%

A taxa do IGP-DI de abril chegou a 0,70%, ante os 0,11% de março, principalmente por causa do aumento do preço dos combustíveis. O peso do aumento do grupo no índice foi de 0,62 ponto percentual, o equivalente a quase 90% da inflação medida pelo índice no mês. No atacado, a inflação medida pelo FGV foi de 0,75% e apenas o grupo de combustíveis subiu 7,75%. Combustíveis e gás de bujão representaram 55% do IPC-DI, de 0,71% em abril. "Este foi o mês da inflação do combustível. Para o mês que vem, deverá sobrar pouca coisa em termos de impacto", afirmou o chefe do Departamento de Estudos de Preços da FGV, Paulo Sidney de Melo Cota. O economista previu que o IGP-DI de maio deverá fechar entre 0,20% e 0,30%, caso não ocorram novos aumentos do combustível, possibilidade que ele considera remota. Ele também lembrou que o mês atual poderá carregar algum impacto sobre ospreços da depreciação cambial. Apesar da alta da inflação em abril, o núcleo do IPC-FDI, que estava em 0,50% em março, recuou para 0, 46% em abril. O núcleo exclui do índice 20% das maiores altas de preço e 20% das maiores baixas. Segundo Cota, a política monetária tem efeito nesse "miolo de inflação", onde ficam os preços sujeitos àsforças de mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.