IGP-DI tem maior alta desde julho de 2002

O Índice Geral dePreços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) subiu 1,88 por cento emmaio, valor maior que a alta de 1,12 por cento em abril, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira. O valor, o maior desde julho de 2002 (quando teve alta de2,05 por cento), ficou acima das expectativas de economistaspara o mês. Em pesquisa feita pela Reuters nesta semana, umamediana de 18 projeções de analistas previa alta de 1,70 porcento para o índice em maio. Entre os componentes do IGP-DI, o Índice de Preços porAtacado (IPA) também mostrou aceleração, subindo 2,22 por centoem maio ante alta de 1,30 por cento em março. A principal contribuição para a aceleração partiu dosubgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de queda de7,58por cento em abril para uma alta de 4,04 por cento em maio. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) também subiu no mêspassado, atingindo alta de 0,87 por cento. No mês anterior, oindicador tinha subido 0,72 por cento. No IPC, a maior contribuição para a aceleração tambémpartiu do rupo Alimentação (1,69 para 2,33 por cento). Valecitar o comportamento da taxa dos itens: hortaliças elegumes (5,48 para 10,20 por cento), arroz e feijão (-3,47 para4,57 por cento), carnes bovinas (1,28 para 3,97 por cento) eaves e ovos (-2,41 para 1,68 por cento). O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) teve altade 2,02 por cento em maio, variação também maior se comparadaao aumento de 0,87 por cento em março. (Para mais informações sobre indicadores de inflação,consultar as páginas e ) (Reportagem de Cláudia Pires; Edição de Alberto AlerigiJr.)

REUTERS

09 de junho de 2008 | 08h44

Tudo o que sabemos sobre:
MACROIGPDIATUALIZA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.