finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

IGP-M de dezembro pode sofrer pressão de combustíveis

Entre os fatores de pressão sobre a inflação de dezembro, em especial a medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), estarão os preços dos combustíveis, prevê o professor de economia e coordenador de Análises Econômicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros. De acordo com ele, o preço do álcool hidratado, vendido nos postos de combustíveis, subiu 3,51% na média dos últimos 30 dias no atacado, segundo a pesquisa de preços feito pela fundação para o IGP-M de novembro. "Como trata-se de uma média, acredito que muito dos aumentos do álcool ainda não foi capturado. Acho que este aumento de 3,51% é apenas o começo", diz Quadros.Este aumento do combustível vai pressionar os preços ao consumidor, que em novembro já subiram 1,28%, ante uma queda de 0,68% em outubro. "Já virou o sinal e vai começar a acelerar a alta", prevê o economista. E isso deverá acontecer mesmo com os estoques elevados de álcool por conta da última safra, que foi muito boa, prevê Quadros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.