IGP-M de junho é de 0,85%

A inflação de junho, medida pelo Índice Geral de Preços (IGP-M), divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ), ficou em 0,85%, contra os 0,31% registrados no mês anterior. No ano, a taxa já acumula alta de 3,17%. Segundo o chefe do Centro de Estudos de Preços da FGV, Paulo Sidney Cota, o resultado não compromete a expectativa de inflação entre 5% e 6% prevista para este ano. A estimativa de Cota para julho éde que o IGP-M fique entre 0,50% e 0,70%.Segundo o economista, o que mais contribuiu foi a alta de 1,25% do Índice de Preços no Atacado (IPA), provocada pela variação dos produtos agrícolas. Os produtos agrícolas subiram 2,56% em junho, contra uma deflação de 0,42% observada no mês anterior. A expectativa para o próximo mês é de que os produtos sofram redução, embora eles tenham variação positiva forte, afirmou Cota. Outro grupo que influenciou a alta do IPA foram os produtos industrializados, que passaram de 0,45% para 0,71%, em função da alta do dólar.Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou variação zero. Entre os grupos que mais influenciaram o resultado, estão o de Alimentação (-1,03%) e Saúde e Cuidados pessoais (-0,51%). Os preços dos grupos de Transportes apresentou queda de 0,23%, após aumentos de 1,24% e 0,01% em abril e maio, respectivamente, porque os combustíveis e lubrificantes obtiveram quedas de 0,92%. O destaque de alta foi o vestuário (2,92%). Já o Índice Nacional do Custo da Construção (INCC) subiu de 0,57% para 1,09%, no período, puxado pelo dissídio coletivo em São Paulo. Já a inflação registrada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo - Especial (IPCA-E) no segundo trimestre do ano ficou em 0,64%, uma queda de 0,63 ponto percentual em relação ao resultado verificado no mesmo período do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.