IGP-M de novembro deve ficar em 0,50%

O chefe do Centro de Estudos de Preços da Faculdade Getúlio Vargas (FGV), Paulo Sidney Melo Cota, prevê que em novembro o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) fique entre 0,50% e 0,60%. Ele explica que o aumento na energia elétrica no Rio e no setor de vestuário estão confirmados para o mês que vem. "Provavelmente haverá aumento também dos combustíveis, que estou supondo ser de 5%", diz Cota. Nessas condições, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) deve aumentar entre 0,30% e 0,40%, segundo Cota. A previsão dele para o Índice de Preços ao Atacado (IPA) no mês que vem é ficar entre 0,70% e 0,80%. No ano até outubro, o IGP-M acumula 8,95%. O IPA em outubro ficou em 0,590%, A variação no preço dos produtos agrícolas no atacado caiu de 3,53% em setembro para 0,99% em outubro e a dos produtos industriais passou de 1,05% para 0,41%. IPC fica negativo pela primeira vez no anoA deflação de 0,003% nos preços do varejo captada pelo IGP-M de outubro foi a primeira vez do ano em que o IPC ficou negativo, informou Cota. Em junho, essa variação foi de zero por cento. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo IBGE e usado para as metas do governo, não registrou nenhuma deflação este ano até agora. Para o IPCA, a inflação mais baixa da sua série este ano foi em maio, de 0,01%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.