portfólio

E-Investidor: qual o melhor investimento para 2020?

IGP-M foi de 1,31% em maio (1,21% em abril)

O Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) ficou em 1,31% em maio, segundo informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O desempenho veio dentro do esperado pelos analistas (entre 1,25% e 1,60%). O resultado é superior ao IGP-M de abril, que ficou em 1,21%. O Índice de Preços por Atacado (IPA) de maio ficou em 1,52%, ante os 1,65% registrados em abril. Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de maio, ficou em 0,59%, ante os 0,31% observados em abril. Por sua vez, o Índice Nacional do Custo da Construção (INCC) de maio, ficou em 1,74%, ante os 0,60% observados em abril. No ano, o IGP-M acumula alta de 5,33%, e nos últimos 12 meses, o indicador tem elevação de 7,04%. Os produtos industriais no atacado apresentaram maior percentual de aceleração no IGP-M de maio em comparação com o desempenho dos produtos agrícolas. Segundo a Fundação Getúlio Vargas, os produtos industriais apresentaram alta de 1,66%, no âmbito do IPA de maio, e os produtos agrícolas registraram elevação de 1,17% no atacado. O IPA, por sua vez, desacelerou sua taxa de variação, passando de 1,65% para 1,52% no período. A FGV informou ainda que, no atacado, os bens de consumo tiveram desaceleração de preços, passando de alta de 1,35% para 0,60% de abril para maio. Já os bens de produção passaram de 1,81% para 1,99%, no mesmo período. Por produtos, as altas mais expressivas no atacado foram registradas nos preços de milho (8,81%); leite in natura (3,89%); óleos combustíveis (6,95%); e trigo (9,12%). No varejo, cujo indicador, o IPC, passou de 0,31% para 0,59% de abril para maio, foram registradas acelerações em cinco dos sete grupos que forma o indicador deste se tor, de abril para maio. É o caso de Alimentação (0,25% para 0,86%); Habitação (de 0,41% para 0,47%); Vestuário (0,65% para 0,86%); Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,71% para 0,98%); e Transportes (de -0,50% para 0,31%).Os grupos que apresentaram desaceleração no período, por sua vez, foram Educação, Leitura e Recreação (de 0,27% para -0,03%) e Despesas Diversas (de 0,81% para 0,46%). Por produtos, as altas mais expressivas no varejo foram registradas em mamão papaya (33,62%); tarifa de eletricidade residencial (1,63%); manga (23,26%) e Batata Inglesa (15,25%). Já no âmbito do INCC, indicador da Construção Civil que passou de 0,60% para 1,74%, o segmento de materiais e serviços passou de 1,16% para 1,47% de abril para maio; o segmento de mão de obra, po r sua vez, foi de 0% para 2,05% no mesmo período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.