IGP-M sobe 0,29% na primeira prévia de junho

Resultado indica aceleração sobre igual período em maio, que teve deflação de 0,52%

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

10 de junho de 2009 | 08h22

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) subiu 0,29% na primeira prévia de junho, após apresentar queda de 0,52% em igual prévia do mês de maio, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 10, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

 

Veja também:

especial Entenda os principais índices

O Índice de Preços por Atacado (IPA) registrou aumento de 0,14%, após cair 0,78% na primeira prévia de maio, e o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,07% na primeira leitura deste mês, após apresentar queda de 0,15% em igual prévia do mês passado. Já o Índice Nacional de Custos da Construção (INCC) teve taxa positiva de 1,76% na primeira prévia de junho, em comparação com a deflação de 0,36% na mesma prévia de maio.

Até a primeira prévia de junho o IGP-M acumula queda de 0,86% em 2009, mas registra aumento de 1,91% nos últimos 12 meses. O período de coleta de preços para a primeira prévia do IGP-M de junho foi do dia 21 a 31 de maio.

 

IPC

 

A desecaleração do IPC, que representa 30% do total do IGP-M, foi influenciada por quatro das sete classes de despesa usadas para cálculo do índice do varejo. Entre os destaques, estão as movimentações de preços em Saúde e Cuidados Pessoais (de 1,17% para 0,34%), Despesas Diversas (de 1,97% para 1,36%) e Alimentação (de -0,35% para -0,53%).

 

Houve quedas e desacelerações de preços em medicamentos em geral (de 4,33% para 0,73%), cigarro (de 5,98% para 3,18%) e frutas (de -2,68% para -6,47%). O IPC registrou aceleração de preços em Habitação (de 0,11% para 0,28%), Vestuário (de 0,80% para 0,96%) e Transportes (de -0,20% para -0,04%).

 

Na análise da movimentação de preços por produtos, as altas mais expressivas no varejo na primeira prévia de junho foram registradas em leite tipo longa vida (8,29%), cigarro (3,18%) e batata-inglesa (4,61%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em mamão papaia da Amazônia (-23,30%), tomate (-15,52%) e manga (-13,35%).

 

IPA

 

Os preços dos produtos industriais no atacado registram queda acumulada de 3,80% no ano e aumento de 1,23% em 12 meses. Já os preços dos produtos agrícolas no atacado acumulam alta de 1,02% no ano e deflação de 3,12% em 12 meses, até a primeira prévia de junho. O IPA representa 60% do IGP-M.

 

IPA-EP

 

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais acumulam altas de 1,12% no ano e de 1,94% em 12 meses. Os preços dos bens intermediários têm taxas negativas acumuladas de 6,20% no ano e de 1,15% em 12 meses. Por fim, os preços das matérias-primas brutas registram quedas acumuladas de 1,37% no ano e de 0,69% em 12 meses, sempre até a primeira prévia do de junho.

 

Segundo a FGV, na avaliação de preços por produtos, as altas mais expressivas no atacado foram registradas em leite in natura (7,17%), soja em grão (2,22%) e açúcar cristal (6,00%). Já as mais expressivas quedas de preço no atacado foram apuradas em minério de ferro (-8,43%), adubos e fertilizantes compostos (-9,46%) e suínos (-11,78%).

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoIGP-MFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.