IGP-M sobe 1,19% em maio, minério de ferro salta 50%

A inflação pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) acelerou significativamente em maio e atingiu o maior patamar desde julho de 2008, pressionado por maiores custos no atacado, com destaque para o minério de ferro, reajustado recentemente.

REUTERS

28 de maio de 2010 | 08h23

O indicador subiu 1,19 por cento em maio, após alta de 0,77 por cento em abril, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

Analistas consultados pela Reuters esperavam leitura de 1,29 por cento, segundo a mediana de 23 projeções que oscilaram de 0,98 a 1,50 por cento.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) avançou 1,49 por cento em maio, ante alta anterior de 0,72 por cento.

O IPA agrícola teve alta de 0,46 por cento agora, contra 1,57 por cento antes. O IPA industrial registrou elevação de 1,82 por cento em maio, ante 0,45 por cento em abril.

As maiores altas individuais de preços no atacado foram de minério de ferro (de 49,76 por cento em maio após queda de 1,06 por cento em abril), leite in natura, soja em grão, feijão e bovinos.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,49 por cento em maio, contra 0,73 por cento em abril.

O arrefecimento partiu do grupo Alimentação, cujos preços aumentaram 0,56 por cento neste mês, ante 2,06 por cento no anterior.

As maiores quedas individuais de preços no varejo foram de tomate, laranja pera, álcool combustível, pimentão e açúcar refinado.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) aumentou 0,93 por cento, contra 1,17 por cento antes.

No ano, o IGP-M acumula alta de 4,79 por cento e nos últimos 12 meses, de 4,18 por cento.

(Reportagem de Vanessa Stelzer)

Tudo o que sabemos sobre:
INFLACAOIGPMMAIOATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.