IGP-M subiu 0,44% na 2ª prévia de janeiro

A segunda prévia do Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) de janeiro subiu 0,44% ante aumento de 0,28% em igual prévia do mesmo indicador em dezembro. O resultado, anunciado nesta segunda-feira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado, que esperavam uma taxa entre 0,34% a 0,52%, e acima da mediana das expectativas (0,38%).A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem a segunda prévia do IGP-M de janeiro. O Índice de Preços por Atacado (IPA), que representa 60% do total do IGP-M, teve alta de 0,35% na segunda prévia de janeiro, ante elevação de 0,30% na segunda prévia de dezembro. Os preços dos produtos agrícolas no atacado subiram 0,35% na segunda prévia do IGP-M de janeiro ante aumento de 0,43% na segunda prévia do índice em dezembro.No âmbito do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais apresentaram alta de 0,44% na segunda prévia de janeiro, ante deflação de 0,14% na segunda prévia de dezembro. Já os preços dos bens intermediários tiveram elevação de 0,19% na segunda prévia de janeiro, ante alta de 0,07% na segunda prévia de dezembro. Por fim, os preços das matérias-primas brutas registraram avanço de 0,53% na segunda prévia anunciada nesta segunda-feira, ante alta de 1,30% na segunda prévia de dezembro.Até a segunda prévia do IGP-M de janeiro, o IPA acumula alta de 3,62% em 12 meses, segundo FGV. De acordo com a fundação, até a segunda prévia de janeiro, os preços dos produtos agrícolas no atacado acumulam elevação de 6,02% em 12 meses.No âmbito do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais acumulam aumento de 0,70% em 12 meses até janeiro. Por sua vez, os preços dos bens intermediários registram elevação de 2,83% em 12 meses. Já os preços das matérias-primas brutas acumulam alta de 9,10% em 12 meses, até a segunda prévia de janeiro.Na análise da movimentação de preços entre os produtos no atacado, na segunda prévia de janeiro, as altas de preço mais expressivas foram registradas em milho em grão (5,24%); minério de ferro (7,25%) e laranja (12,29%). Já as mais significativas quedas de preço, no atacado, foram apuradas em soja em grão ( -2,45%); arroz em casca (-7,18%) e leite in natura (-1,68%).VarejoO Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem participação de 30% no total do IGP-M, apresentou aumento de 0,69% na segunda prévia de janeiro, ante elevação de 0,24% na segunda prévia de dezembro. No varejo, o IPC acumula elevação de 1,88% em 12 meses. Segundo a FGV, a aceleração na taxa do IPC, na passagem da segunda prévia do IGP-M de dezembro para igual prévia do mesmo indicador em janeiro (de 0,24% para 0,69%, foi influenciada pelo fim da deflação nos preços do grupo Alimentação (de -0,24% para 1,08%) no período.De acordo com a fundação, das sete classes de despesa usadas para cálculo do IPC, cinco registraram término de deflação ou elevação de preços mais intensa, no mesmo período. Além de Alimentação é o caso de Habitação (de -0,11% para 0,25%); Vestuário (de 0,07% para 0,61%); Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,20% para 0,66%) e Educação, Leitura e Recreação (de 0,41% para 0,59%). Os dois grupos restantes apresentaram desaceleração de preços, como Transportes (de 1,68% para 1,29%) e Despesas Diversas (de 1,50% para 0,10%).Na análise dos preços dos produtos no varejo, as altas mais expressivas, na segunda prévia do IGP-M de janeiro, foram apuradas em tarifa de ônibus urbano (2,80%); tomate (8,79%) e cenoura (16,47%). Já as mais significativas quedas de preços foram registradas em limão (-30,21%); passagem aérea (-10,30%) e seguro facultativo de veículo (-3,77%). ConstruçãoO Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), que representa 10% do total do IGP-M, também subiu 0,38% na segunda prévia de janeiro, ante avanço de 0,24% na segunda prévia de dezembro.De acordo com a FGV, a aceleração na taxa do INCC, da segunda prévia do IGP-M de dezembro para igual prévia em janeiro (de 0,24% para 0,38%), foi influenciada por elevação de preços mais intensa no segmento de mão-de-obra (de 0,09% para 0,50%).Ao analisar a movimentação de preços por produtos, a FGV esclareceu que as mais expressivas altas de preço na construção civil, na segunda prévia do IGP-M de janeiro, foram registradas em ajudante especializado (0,49%); servente (0,50%) e pedreiro (0,49%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em tinta a base de PVA (-0,62%); condutores elétricos fio/cabo (-1,08%) e chuveiro elétrico - simples (-1,09%)O índice acumula elevação de preços de 5,19% em 12 meses, até a segunda prévia do IGP-M de janeiro.Até a segunda prévia de janeiro, o IGP-M acumula elevação de 3,33% em 12 meses. O período de coleta de preços para cálculo da segunda prévia do IGP-M de janeiro foi do dia 21 de dezembro a 10 de janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.