Iguatemi aposta no luxo em Brasília

Iguatemi aposta no luxo em Brasília

Com investimento de R$ 180 milhões, shopping levará pela primeira vez grifes como Louis Vuitton para fora do eixo Rio-São Paulo

Rafael Moraes Moura, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2010 | 00h00

Os tapumes ainda fazem parte da paisagem, dividindo espaço com montes de terra, caminhões, tratores, operários e alguma névoa de poeira que tinge o céu de marrom. A partir de 30 de março, no entanto, o canteiro de obras deve abrir alas para o Iguatemi Brasília, o primeiro shopping center de grande porte a ser inaugurado no Brasil neste ano, segundo informações do setor.

Os números são superlativos: 200 lojas, R$ 180 milhões de investimento, 32 mil metros quadrados de área bruta locável, 1,5 mil empregos criados quando o empreendimento estiver funcionando.

Dono do maior Produto Interno Bruto (PIB) per capita e da maior renda per capita do País, o Distrito Federal receberá grifes estrangeiras que não tinham chegado antes ao Planalto Central, como a italiana Ermenegildo Zegna, a francesa Louis Vuitton e a inglesa Accessorize. E o grupo Iguatemi ancora em um mercado dos mais cobiçados, onde já existem pelo menos 17 concorrentes, de acordo com a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce).

Luxo. "Enxergamos uma oportunidade bem concreta de buscar um mercado de representatividade do Brasil", diz Alberto Candellero, vice-presidente para a América Latina da Ermenegildo Zegna. A marca de alta-costura abre em Brasília a sua primeira loja fora do eixo Rio-São Paulo. O espaço de 230 m² terá uma sala de luxo, com atendimento personalizado para autoridades - membros dos Três Poderes e embaixadas, por exemplo.

"Brasília possui um estilo de vestir bem formal e as pessoas viajam muito para o exterior, de onde já conhecem a marca", diz Candellero. A cidade deve ser incluída nas comemorações do centenário da Ermenegildo Zegna, com eventos especiais e a oferta de produtos limitados.

No caso da marca de acessórios femininos Accessorize, a expectativa é que a loja em Brasília impulsione entre 6% e 8% o faturamento da grife no Brasil.

"Estamos muito confiantes no mercado do Distrito Federal", afirma o sócio-diretor Robson Tatimoto.

"Uma pesquisa encomendada nos mostrou que as brasilienses e as mineiras são as mulheres que mais usam acessórios. No Sul, são mais usados acessórios de frio, já no Nordeste são os de verão. Em Brasília, compram-se todos", observa. O lançamento da coleção outono-inverno da Accessorize ocorrerá na cidade.

O surgimento do Iguatemi Brasília também fez a Louis Vuitton abrir na capital da República a primeira loja distante do Rio e de São Paulo. É a sexta no Brasil, onde a marca de artigos de luxo já está presente há 20 anos. Para celebrar a inauguração do Iguatemi e os 50 anos de Brasília, será lançado um produto exclusivo: um lenço de R$ 1.120 criado a partir da obra do artista Vik Muniz.

O cardápio de compras do empreendimento inclui, além da Louis Vuiton, marcas como Animale, Calvin Klein, Colcci, Lacoste, Mandi, Nike, Osklen, Swatch e Burberry.

Valorização. O Iguatemi Brasília fica localizado no Lago Norte, uma das áreas mais nobres do Distrito Federal. Como já era esperado, o shopping fez com que os terrenos vizinhos se valorizassem. Nesse aspecto, o empresário gaúcho Arnaldo Sonda fez, nas suas palavras, "o melhor negócio da vida". Ele comprou há 15 anos uma área no meio do nada, onde decidiu abrir uma galeteria. Foi criticado por colegas que não viam prosperidade em uma vizinhança tão carente de movimento.

Passaram-se anos, surgiram edifícios, estabelecimentos e, agora, o Iguatemi.

"Estou prevendo um crescimento de 20% (no número de frequentadores do restaurante) para este ano", diz Sonda. Ele estima que o terreno valorizou 300% só com a chegada do shopping e diz que pelo menos 20 pessoas já lhe ofereceram oferta de compra. Promete não sair do endereço - e vai fazer compras ao lado, claro.

IMPACTO DO PROJETO

Recursos

O total de investimento no shopping de luxo será de

R$ 180 milhões

Tamanho

Ao todo, serão construídas 200 lojas no centro de compras

Movimento

A previsão do volume de frequentadores do shopping por dia é de 35 mil pessoas

Mercado de trabalho

Serão criados cerca de 1,5 mil empregos diretos

Espaço

Só a loja da Ermenegildo Zegna terá 230 metros quadrados, que inclui uma sala de luxo para atendimento personalizado de autoridades

Mercado

A marca de acessórios femininos Accessorize prevê alta do faturamento no País de 6% a 8%

Novo eixo

A grife Louis Vuitton vai abrir no shopping sua primeira loja distante do eixo Rio-São Paulo. Essa será a sexta no Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.