ILFC quer punição à Varig por ignorar ordem da Corte de NY

A Internacional Lease Finance Corporation (ILFC), que deveria começar a receber da Varig nove aeronaves arrendadas com pagamentos vencidos, quer medidas extraordinárias da Corte de Falências do Distrito Sul de Nova York para que a Varig cumpra a ordem de devolução das aeronaves. Entre as medidas classificadas como extraordinárias que a ILFC irá sugerir ao juiz Robert Drain, na audiência desta semana, devem estar desde multa até pedido de prisão para os representantes da Varig nos EUA por "violação às ordens" determinadas pela Corte norte-americana.Na última semana, venceu dívida da Varig com a ILFC sem que a empresa brasileira efetuasse pagamento. O credor afirma que a Varig continua operando suas nove aeronaves "em violação às ordens" da Corte de Nova York. Na última semana, expirava a dívida da Varig com a ILFC, quando os advogados da empresa brasileira tentaram, sem sucesso e em uma curta audiência, prorrogar a data de pagamento da dívida.Sem efetuar o pagamento, a empresa brasileira teria de interromper, imediatamente, as operações comerciais destas aeronaves, sendo que um uma nova ordem determinava 14 dias, a partir do dia 16 de junho, para que a Varig fizesse o retorno das mesmas.Nesta semana, a ILFC irá reclamar ao juiz Robert Drain que os danos diários não estão ligados apenas ao aluguel dos aviões, mas também à depreciação das aeronaves pelo uso diário. Assim, segundo documento depositado na Corte, o credor acredita que um remédio extraordinário pode ser necessário para que a Varig atenda a ordem que já havia sido obtida na última semana.Na audiência desta semana, a ILFC irá sugerir ao juiz Drain, entre outras medidas classificadas como extraordinárias, a imposição de uma multa diária de US$ 500 mil e a detenção dos representantes internacionais da Varig até que a ordem da Corte de Nova York seja cumprida pela empresa brasileira. Eduardo Zewes, que representa a Varig nos EUA, e Marcelo Bottini, presidente da Varig, estão entre os intimados pela justiça norte-americana a comparecer à Corte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.