Iluminação é segurança: vale investir em lâmpadas de qualidade para o seu veículo
Conteúdo Patrocinado

Iluminação é segurança: vale investir em lâmpadas de qualidade para o seu veículo

Com mais de 100 anos de experiência, Philips emprega tecnologia avançada na fabricação de lâmpadas automotivas que iluminam melhor e duram mais

PHILIPS, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

25 de fevereiro de 2022 | 08h00

Entre os diversos itens que fazem parte do ciclo de segurança viária, a iluminação do veículo é um aspecto fundamental para prevenir acidentes. “O farol e todo o sistema de iluminação são considerados itens de segurança, pois permitem que os condutores vejam e sejam vistos nas ruas e estradas”, explica o gerente de Produto da Philips para o Brasil e América Latina, Leonardo Figueiredo.

Por isso, além de fazer as revisões do seu veículo em dia e manter os pneus em bom estado e calibrados, é preciso ficar atento se não há nenhuma lâmpada queimada no seu carro, moto ou caminhão, principalmente no farol. Afinal, transitar com o farol queimado, além de colocar sua vida em risco, é considerado infração de trânsito média e rende multa de R$ 130,16 e quatro pontos no prontuário do condutor.

Lâmpadas ruins podem causar acidentes

Mas, na hora de substituir a lâmpada do farol queimada, muitos motoristas e motociclistas ficam em dúvida sobre qual escolher e optam pela mais em conta. Nesse caso, como em muitos outros exemplos, “o barato sai caro”, como diz o dito popular.

Além da menor durabilidade, itens de má qualidade podem causar diversos problemas, alerta Figueiredo. Como exemplo, o executivo da Philips aponta o fato de que muitas direcionam a luz para o lugar errado, prejudicando a visibilidade do condutor.

Segundo ele, o facho de luz e a linha de corte ideais das lâmpadas Philips distribuem a luz de forma correta e iluminam a estrada e as placas de sinalização. “Além disso, uma lâmpada ruim pode ofuscar o motorista que vem em sentido contrário em uma estrada e acabar causando um acidente”, explica.

Para evitar esse problema, desde 2013, as lâmpadas automotivas precisam passar por certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que atesta sua qualidade no que diz respeito à luminosidade emitida e também ao corte de luz.

“Pouca gente sabe, mas a Philips tem muita tradição e experiência no setor automotivo. Já fabricamos lâmpadas para carros e motos há mais de 100 anos. Todas as nossas lâmpadas e LEDs passam por rigorosos testes e trazem muita tecnologia”, ressalta o gerente de Produto da Philips. Como é líder no fornecimento para as fabricantes e montadoras de veículos, a Philips atende a rígidas normas internacionais para a produção de lâmpadas automotivas.

Por que vale a pena pagar mais

Por isso, na hora de trocar a lâmpada do farol – seja porque queimou ou para melhorar a iluminação da moto –, vale a pena escolher lâmpadas Philips, afirma o executivo da empresa. Afinal, a segurança não deve ser vista como gasto, mas como um investimento.

Com uma completa linha de lâmpadas originais ou de upgrade para automóveis e motocicletas, a Philips emprega muita tecnologia na fabricação desses itens, desde o filamento, que é o que gera luz, até o vidro de quartzo. “É preciso aplicar tecnologia avançada para oferecer mais qualidade nas lâmpadas”, esclarece Figueiredo.

Com uma tecnologia única de fixação dos filamentos, caso da linha ExtraDuty da Philips, as lâmpadas resistem mais às vibrações, comuns nas motos, e duram mais. Isso sem falar que a posição e a geometria do filamento garantem melhor projeção da luz, onde o condutor mais precisa, e também um facho de luz sem ofuscar os outros motoristas.

Mas a Philips também criou revestimentos especiais, o chamado coating, que produz uma luz superbranca e cheia de estilo, como nas linhas Crystal Vision e Xtreme Vision.

Como outro exemplo de que “o barato sai caro” quando o assunto são lâmpadas para o farol, o especialista da Philips cita o vidro de Quartzo Diamond Precision, usado na fabricação das lâmpadas. Além de mais resistente a choques térmicos, o material bloqueia os raios ultravioleta emitidos pelo filamento.

“O filamento de tungstênio emite muita radiação UV, o que, com o tempo, pode ressecar e amarelar o plástico da lente do farol. Com as lâmpadas Philips isso não acontece, graças ao vidro de quartzo”, exemplifica.

Por fim, o gerente de Produtos da Empresa destaca o gás de preenchimento e a vedação como características importantes das lâmpadas Philips. “Lâmpadas muito baratas e de qualidade duvidosa podem até mesmo ‘explodir’ quando expostas por muito tempo ao sol e ao calor”, adverte.  


 

Tudo o que sabemos sobre:
PhilipsLâmpada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.