Imóveis de um quarto são destaque de vendas no semestre em São Paulo

Vendas de apartamentos de um dormitório cresceram de mil para 4.100 na comparação do primeiro semestre deste ano com o mesmo período de 2012

Francisco Carlos de Assis, Agência Estado

13 de agosto de 2013 | 12h17

SÃO PAULO - No mercado imobiliário, o destaque de vendas no primeiro semestre no município de São Paulo foram as unidades de apartamentos de um dormitório. De acordo com o Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), do total de 17,5 mil imóveis vendidos de janeiro a junho, 4.100 mil foram de um quarto. No mesmo período do ano passado, foram vendidas mil unidades nesse perfil.

De acordo com o economista-chefe do Secovi, Celso Petrucci, em termos de crescimento de mercado, os imóveis de um dormitório foram a grande surpresa. Mas os apartamentos de dois dormitórios continuam sendo os campeões de vendas. Na primeira metade do ano foram vendidas 7,8 mil unidades desse tipo ante 6,2 mil no primeiro semestre de 2012.

Os lançamentos de imóveis residenciais na cidade cresceram 52% ao longo do primeiro semestre deste ano em relação a igual período de 2012 com o número absoluto de unidades de 14 mil, contra 9,2 mil na primeira metade do ano passado.

O Secovi-SP projeta para este ano um crescimento de 30% na vendas de imóveis residenciais na cidade de São Paulo sobre o ano passado e um avanço de 16% nos lançamentos.

Segundo Celso Petrucci, esse crescimento está relacionado à manutenção do bom desempenho do mercado de trabalho. De acordo com ele, "embora a economia tenha apresentado piora, alguns fundamentos como a geração de empregos tem se mantido firmes e além disso o setor tem oferecido imóveis de valores diversificados, se adequando ao poder aquisitivo dos compradores", afirmou.

Ele citou também a utilização da tabela Price que exige uma entrada menor na aquisição do imóvel, o que a tabela SAC anteriormente não permitia.

Petrucci menciona ainda o crescimento de 30% nos financiamentos, que no primeiro semestre contemplaram 172,2 mil unidades antes 132,6 mil no semestre passado. "O primeiro semestre foi surpreendente", afirmou, com alta de 52% em lançamentos e 45,8% em vendas. "Mas esse ritmo de crescimento não deve se manter."

Tudo o que sabemos sobre:
imoveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.