Impacto na receita chega a R$ 2 bi

Estimativas preliminares do Ministério da Fazenda dão conta de que a elevação da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para a gasolina e o diesel aumentar de R$ 1,5 bilhão a R$ 2 bilhões a arrecadação pública, e parte desse valor será repassada aos Estados. O impacto positivo nas receitas ajuda o governo a executar a política fiscal e deve diminuir a pressão dos Estados por mais recursos. A Receita ainda está calculando de forma precisa qual será o impacto da medida na arrecadação.A calibragem do tributo, que permitiu reduzir o preço do diesel para o consumidor, também teve foco na política monetária. Com o combustível de ônibus e caminhões mais barato, o BC fica em posição ainda mais confortável para continuar a reduzir a taxa básica de juros. "Com PIB negativo, câmbio valorizado e queda no diesel, o BC não tem mais argumento (para não cortar mais fortemente os juros)", disse uma fonte do governo ao ?Estado?. Segundo os técnicos, a queda no preço do diesel terá impacto positivo nos preços de atacado e só depois, de forma mais concentrada em 2010, nos preços ao consumidor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.