Impasse em dívida dos EUA pesa, bolsas na Ásia fecham estáveis

A falta de progresso nas conversações entre os políticos para a elevação do teto da dívida norte-americana desanimou os investidores dos mercados acionários da Ásia, que fecharam perto da estabilidade nesta quarta-feira.

REUTERS

27 de julho de 2011 | 08h20

Às 8h20 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne bolsas da região Ásia-Pacífico excluindo o Japão tinha ligeira alta de 0,23 por cento, a 490 pontos.

"A maioria das pessoas acredita que os Estados Unidos podem evitar um default, mas como a probabilidade disso não é zero, os investidores podem não se sentir confortáveis em comprar", disse Chris Weston, operador na IG Markets.

Em Tóquio, o mercado perdeu 0,50 por cento, para 10.047 pontos. A queda foi amparada por um otimismo sobre os melhores lucros corporativos do país.

Em Hong Kong, houve queda de 0,13 por cento, a 22.541 pontos, com perdas de seguradoras, enquanto em Xangai a bolsa subiu 0,76 por cento, a 2.723 pontos, impulsionada por ganhos no setor imobiliário.

Em Sydney, houve variação negativa de 0,79 por cento, a 4.537 pontos. O mercado foi abatido ainda por um dado mais alto que o esperado da inflação local.

"Os investidores... estão precificando o pior cenário para um default dos Estados Unidos e esperando para comprar mais tarde", afirmou Weston.

A bolsa de Seul subiu 0,26 por cento, para 2.174 pontos, com os ganhos de corretoras.

"As ações parecem estar se movendo em uma faixa limitada até que o acordo sobre o teto da dívida dos Estados Unidos seja resolvido", disse Yoo Kyung-ha, analista de mercado do Dongbu Securities.

Cingapura ganhou 0,22 por cento, para 3.193 pontos, enquanto Taiwan avançou 0,26 por cento, para 8.871 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.