Impasse em negociação leva bancários a marcar greve

Impasse nas negociações entre bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) deve provocar paralisação das agências bancárias na próxima quarta-feira, dia 28. Os bancários não gostaram da proposta da Fenaban, de 4% de reajuste salarial (contra 11,77% reivindicados) e marcaram greve de 24horas. O diretor de relações trabalhistas da Fenaban, Magnus Apostólico, disse que estranhou a notícia sobre a greve. "O processo negocial está em andamento, a bola está com eles", afirmou. Os bancários reagem e dizem que continuam abertos à negociação, mas a proposta dos bancos "é muito aquém do reivindicado". Os bancários também querem participação nos lucros e resultados de um salário integral mais um adicional fixo de R$ 788 reais. Além disso, reivindicam que 5% do lucro líquido dos bancos seja distribuído entre os funcionários. Proposta da Fenaban A proposta da Fenaban é de reajuste de 4% sobre os salários, pisos e demais verbas salariais, abono de R$ 1 mil e PLR nos mesmos moldes de 2004, ou seja, 80% do salário mais valor fixo de R$ 733. Na avaliação do presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Luiz Cláudio Marcolino, a proposta da Fenaban não atende as principais reivindicações dos bancários. "A bola está com os bancos", diz um representante dos bancários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.