Impasse sobre dívida nos EUA pesa em Wall Street

As principais bolsas de valores norte-americanas recuaram nesta segunda-feira, em meio ao impasse dos congressistas sobre a elevação do teto da dívida do país, que poderia evitar um default.

CAROLINE VALETKEVITCH, REUTERS

25 de julho de 2011 | 17h56

Porém, investidores se mostraram convencidos de que um compromisso será atingido antes do prazo final para as negociações, programado para a semana que vem.

O Dow Jones teve desvalorização de 0,70 por cento, a 12.592 pontos. O Standard & Poor's 500 recuou 0,56 por cento, a 1.337 pontos. O Nasdaq cedeu 0,56 por cento, a 2.842 pontos.

O giro financeiro dos pregões, no entanto, foi baixo, sugerindo que os investidores se mantiveram na defensiva.

Os parlamentares enfrentam o prazo de 2 de agosto para elevar o teto da dívida dos EUA de 14,3 trilhões de dólares.

"Se você ouvir toda a retórica e ler tudo que foi publicado sobre isso, 2 de agosto tem o potencial de ser um dos piores dias na história, caso o teto da dívida não seja elevado", disse Hank Smith, vice-presidente financeiro da Haverford Trust, na Filadélfia.

Mas o mercado não está reagindo como se isso fosse acontecer, disse. "Políticos estão sendo políticos... mas quando eles chegarem ao fim do penhasco, não irão saltar. Irão elevar o teto da dívida".

Um acordo iminente permanecia ilusório em Washington, conforme democratas e republicanos apoiavam propostas orçamentárias diferentes no Congresso.

O nervosismo de investidores permaneceu alto, com o índice de volatilidade CBOE saltando 10,5 por cento, seu maior ganho porcentual em duas semanas.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAEUAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.