finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Implante de joia no olho custa R$ 6,9 mil em Nova York

Mulher com coração de platina implantado diz que gostou do resultado, mas a Academia Americana de Oftalmologia não aprova a cirurgia

26 de novembro de 2013 | 12h33

SÃO PAULO - Lucy Luckayanko estava em uma boate em Nova York, quando um homem se aproximou dela e disse: "Como seu olho é brilhante!"

"Sim", disse a jovem loira de 25 anos, com seu sotaque russo. "Eu tenho uma joia de platina no meu olho".

Um implante em forma de coração feito de platina no canto do olho direito de Luckayanko provoca reflexos de luz quando ela olha para cima.

Quem fez o implante foi um médico chamado Emil Chynn, especialista em cirurgias para implante de joias no globo ocular.

Coração de platina no globo ocular: operação custa US$ 3 mil em Nova York (foto: divulgação)

Valium. Em seu consultório na Park Avenue, em Manhattan, ele cobra US$ 3 mil pela operação, o equivalente a R$ 6,9 mil. Ele faz as cirurgias na frente de uma janela de vidro que vai do chão ao teto, para que os transeuntes possam ver da rua.

Luckayanko conta que não se importou com a curiosidade das pessoas. O médico deu a ela um Valium e gás hilariante para acalmar seus nervos.

"Você não sente nada", disse ela à reportagem da rede ABC News. O médico é especializado em cirurgias a laser para corrigir a visão.

Para o implante ele faz uma fenda na membrana fina que cobre o branco do olho da paciente, e explica que a fenda é tão pequena que não precisa de pontos para cicatrizar.

Alerta. Luckayanko disse que se sentia como se alguma coisa estivesse em seu olho nos primeiros dias, mas depois se acostumou.

Ela foi a primeira a submeter-se à operação em Nova York. Outros quatro apareceram nos dias seguintes para implantar joias no olho.

Segundo a rede ABC News, a Academia Americana de Oftalmologia não recomenda a cirurgia e alerta os consumidores que o procedimento não é aprovado no País, embora seja comum na Europa.

"A Academia Americana de Oftalmologia não identificou provas suficientes para apoiar a segurança ou o valor terapêutico desse processo", disse a Academia em um comunicado.

Em caso de complicações, segundo a Academia, o implante poderia provocar infecção ocular com sangramento, perfuração do olho, conjuntivite e até cegueira.

Tudo o que sabemos sobre:
oftalmologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.