carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Importação da China dispara 54%

País desbanca o Mercosul e torna-se o segundo maior fornecedor de produtos para o Brasil, atrás apenas dos EUA

Denise Chrispim Marin, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2004 | 00h00

A China ultrapassou o Mercosul e consolidou-se como o segundo maior fornecedor de produtos para o Brasil, depois dos Estados Unidos, na lista de importação por país individual. De janeiro a agosto deste ano, produtores chineses embarcaram para o mercado brasileiro US$ 7,579 bilhões, conforme os números da balança comercial do período, divulgada ontem pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Esse valor representou um aumento de 54,4% em relação a igual período de 2006. Também respondeu por 10,1% do total de bens comprado pelo Brasil no exterior.O desempenho contribuiu para consolidar a Ásia como líder entre os blocos de origem das importações brasileiras, com US$ 18,604 bilhões no período.Entre janeiro e agosto, o total de importações brasileiras bateu um novo recorde e alcançou US$ 74,921 bilhões. Essa cifra superou em 27,8% a de igual período de 2006. Com taxa de crescimento menor, de 15,9%, as exportações igualmente foram as maiores da história e totalizaram US$ 102,434 bilhões.Segundo o secretário de Comércio Exterior, Armando Meziat, as exportações superaram US$ 100 bilhões dois dias antes do fim de agosto. Em sintonia com as previsões, o saldo comercial continuou a diminuir - chegou a US$ 27,513 bilhões, US$ 2,234 bilhões a menos que em igual período de 2006.O comércio com a China, entretanto, foi uma mola excepcional para o incremento das importações brasileiras. Sua vice-liderança entre os fornecedores individuais repetiu-se nos últimos três meses e mostram que dificilmente a China perderá sua atual posição.Os dados dos sete primeiros meses do ano - período para o qual há números mais detalhados - indicam também que, entre os dez principais itens de importação da China, não figuram os que mais causam gritaria na concorrência nacional, como calçados, têxteis e brinquedos. Essa lista destaca o peso dos insumos para o setor de informática, aparelhos de telefonia, geradores e aparelhos domésticos.Na comparação entre países individuais, os EUA continuam a liderar a lista dos fornecedores de produtos ao Brasil. Com participação de 16,2% na pauta importadora do País até agosto, os EUA foram a origem de US$ 12,131 bilhões em bens importados. Entretanto, o conjunto das importações provenientes do Mercosul alcançou US$ 7,245 bilhões no período - US$ 334 milhões menos que a China.Somente a Argentina, que despencou da segunda para a terceira posição em janeiro passado e assim se manteve, embarcou US$ 6,520 bilhões ao Brasil entre janeiro e agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.