Importação e conta-petróleo preocupam saldo da balança

O saldo positivo de US$ 384 milhões na balança comercial da primeira semana de junho encobriu dois dados preocupantes nas contas do comércio do Brasil com o exterior - a taxa de crescimento das importações duas vezes maior que a das exportações e o peso da conta de petróleo.No período, os embarques somaram US$ 4,592 bilhões, conforme os dados divulgados hoje pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. A média diária de exportações alcançou US$ 918,4 milhões - cifra 40% maior que a média do mês de junho de 2007. No caso das importações, que totalizaram US$ 4,208 bilhões na primeira semana de junho, a média diária atingiu US$ 841,6 milhões - valor 81% superior, na mesma comparação.No caso do petróleo e derivados, os dados da Secex indicaram que houve déficit médio de US$ 89,657 milhões ao dia ou US$ 448,285 milhões na primeira semana. No ano até a sexta-feira da semana passada (dia 6), a balança comercial acumula superávit de US$ 9,039 bilhões, valor 48,1% menor que o verificada em igual período do ano passado. No acumulado, as exportações chegaram a US$ 76,646 bilhões e apresentaram crescimento de 23,7% em relação a igual período de 2007. As importações, com US$ 67,607 bilhões, cresceram mais que o dobro das importações - 51,8%. O dado mais tranqüilizador foi o aumento da corrente de comércio do Brasil com o exterior, que foi de 35,4% no período. Esse porcentual é superior ao verificado no ano de 2007 até o início de junho, quando a corrente cresceu 22,7%. ExportaçõesOs embarques de petróleo e derivados e de soja contribuíram especialmente para que as exportações alcançassem US$ 4,592 bilhões na primeira semana de junho, conforme a Secex.No período, a média diária de vendas de petróleo e derivados atingiu US$ 154,3 milhões, o que representa um valor 171,6% maior que a de todo o mês de junho de 2007. No caso da soja, a média foi de US$ 128,4 milhões e apresentou crescimento de 108,5%. Entre os principais setores de exportação do Brasil, apenas quatro tiveram queda: açúcar (-0,4%), madeiras (-23,9%), têxteis (-2,2%) e suco de laranja (-29,3%).Os dados da Secex apontam ainda que, na primeira semana de junho, houve crescimento de 75,7% nas exportações de produtos básicos, em comparação com os números de todo o mês de junho de 2007. As vendas de produtos semimanufaturados aumentaram 21,7%, e as de manufaturas, 21,2%. ImportaçãoO crescimento de 81% na média diária de importação na primeira semana de junho, em relação a todo o mês de junho de 2007, abarcou todos os principais produtos da pauta importadora brasileira, conforme dados da Secex.Na primeira semana, o item combustíveis e lubrificantes foi o que mais pesou, com uma média diária de importações de US$ 243,996 milhões. Essa cifra representou aumento de 197% em relação à média de junho do ano passado. Esse desempenho foi seguido pelas importações de equipamentos mecânicos (+58,2%), de equipamentos elétricos e eletrônicos (+67,8%), de veículos e partes (+53,5%) e de adubos e fertilizantes (124,8%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.