Importação e realização de lucros puxam dólar

Um fluxo de recursos negativo, que segundo operadores é provocado principalmente por movimento de importadores, leva o dólar a sustentar a cotação em ligeira alta, nesta manhã. No início do dia, os especialistas esperavam uma trajetória contrária, seguindo o cenário de ontem, quando o BC e o Tesouro esclareceram que comprarão somente US$ 1,2 bi este ano, contra os US$ 3 bi previstos anteriormente. Na máxima registrada há pouco, o dólar tinha alcançado valorização de 0,15%, mas ainda se mantendo longe da marca de R$ 2. A máxima foi de R$ 1,994. Os analistas dizem também que, além de importações, há tesourarias realizando lucros. Ou seja, alguns investidores que teriam vendido dólares na máxima ontem, estariam repondo suas posições na mínima de hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.