Importação e realização de lucros puxam dólar

Um fluxo de recursos negativo, que segundo operadores é provocado principalmente por movimento de importadores, leva o dólar a sustentar a cotação em ligeira alta, nesta manhã. No início do dia, os especialistas esperavam uma trajetória contrária, seguindo o cenário de ontem, quando o BC e o Tesouro esclareceram que comprarão somente US$ 1,2 bi este ano, contra os US$ 3 bi previstos anteriormente. Na máxima registrada há pouco, o dólar tinha alcançado valorização de 0,15%, mas ainda se mantendo longe da marca de R$ 2. A máxima foi de R$ 1,994. Os analistas dizem também que, além de importações, há tesourarias realizando lucros. Ou seja, alguns investidores que teriam vendido dólares na máxima ontem, estariam repondo suas posições na mínima de hoje.

Agencia Estado,

09 de fevereiro de 2001 | 11h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.