coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Importações de eletrônicos crescem 16,8% até agosto

O déficit comercial do setor elétrico e eletrônico deve ficar em US$ 12,5 bilhões este ano, segundo projeção divulgada hoje pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). De janeiro a agosto, o saldo negativo da balança setorial cresceu 32% em relação ao mesmo período de 2006, para US$ 9,11 bilhões. Exceto pelo déficit registrado em todo o ano passado (US$ 9,73 bilhões), o resultado negativo dos oito primeiros meses deste ano é o pior já registrado pelo setor.Entre janeiro e agosto, as exportações ficaram praticamente estáveis no período, em US$ 6,02 bilhões, enquanto as importações tiveram alta de 16,8%, para US$ 15,13 bilhões. Os celulares continuam a liderar as vendas externas do setor, mas registraram queda de 26% na mesma base de comparação.Na ponta importadora, os semicondutores continuam à frente da lista, com US$ 2,98 bilhões de janeiro a agosto, mas em queda de 5% em relação ao mesmo período de 2006. Esse recuo, somado à queda de 4% nas importações de componentes, amenizou o crescimento das compras externas. Mas houve incremento de 39% nas aquisições de componentes para informática e de 5% de componentes para telecomunicações.

PAULA PULITI, Agencia Estado

18 de outubro de 2007 | 17h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.