Importações em agosto podem atingir US$ 7,5 bi, prevê Furlan

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, afirmou hoje que pela primeira vez na história as importações vão ficar acima de US$ 7 bilhões em agosto. "Podem ficar até próximas de US$ 7,5 bilhões dependendo das importações hoje e amanhã", comentou o ministro. Furlan disse ainda que as exportações também podem ser recorde em agosto.Ele avaliou o mês de agosto como positivo tanto para as vendas externas quanto para as compras internacionais e destacou a influência do petróleo na corrente de comércio. "Além do preço, tem o fato de a Petrobras estar incrementando a sua produção, o que significa que ela exporta alguns tipos de petróleo e importa outros no nível do preço atual", afirmou o ministro, ao chegar à Confederação Nacional da Indústria (CNI) para a solenidade de entrega da Medalha do Conhecimento, criada pelo Ministério do Desenvolvimento.O ministro disse que, no perfil das importações em agosto, continuam prevalecendo os bens de capital, matérias-primas e componentes. "Os bens de consumo ainda representam parte pequena da importações", disse. Furlan lembrou que a expectativa do governo no início do ano era de que as importações crescessem em uma velocidade acima da das exportações.Ao ser questionado sobre se o desempenho das importações representava a retomada dos investimentos, ele respondeu: "não digo que está havendo retomada porque os investimentos nunca abrandaram. Os investimentos durante todo este ano estão acima do ano passado".

Agencia Estado,

30 de agosto de 2005 | 14h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.