Importados frustram vendas de eletroeletrônico nacional

O crescimento de vendas no setor de eletroeletrônicos de produção nacional ficou aquém do esperado em 2006, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira pela Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros). Os números mostram aumento de 8,54% das vendas no ano passado em comparação a 2005, quando a estimativa inicial era de alta de 13,89%.O desempenho abaixo do estimado de venda de DVDs contribuiu para a redução do porcentual de crescimento. A expectativa inicial era de que fossem vendidos 11,5 milhões de aparelhos. No entanto, foram comercializados cerca de 8 milhões de DVDs, o que resultou em um crescimento de 6,96%.Os importados, principalmente da China, foram apontados como vilão deste segmento pelo presidente da Eletros, Paulo Saab. "Os DVDs importados avançaram fortemente no mercado brasileiro, principalmente os provenientes de países asiáticos, reduzindo a participação dos fabricantes locais", considerou.Assim, a linha de imagem e som contrariou as projeções iniciais, de crescimento de 24,5%, com desempenho apenas 9,59% superior a 2005. As vendas de televisores, segundo a Eletros, somaram 10,85 milhões de unidades, com incremento em torno de 13% em comparação com 2005. Desse total, 10,5 milhões são televisores convencionais e 350 mil são aparelhos de plasma e LCD (cristal líquido). Em relação a essas duas novas tecnologias, as vendas foram praticamente equivalentes, com os aparelhos de plasma respondendo por 51%, e os de LCD por 49% das 350 mil unidades comercializadas.O desempenho da linha de eletrodomésticos portáteis ficou próximo ao das previsões do setor. O crescimento médio foi de 3,12% sobre 2005, 1% acima do projetado. O melhor desempenho foi dos aspiradores de pó, com vendas 17,36% superior a 2005, e cafeteiras com filtro, com vendas 20,35% maiores.Por sua vez, a linha branca (geladeiras, lavadoras e fogões) superou as previsões dos fabricantes, com incremento de vendas duas vezes superior ao previsto. Este segmento comercializou 13,74% mais do que em 2005. A estimativa inicial era de 6,53%. Para Saab, a queda nas taxas de juros, a ampliação dos prazos dos crediários, a maior estabilidade no emprego e a melhoria na massa salarial foram os fatores que favoreceram o crescimento da linha branca.De acordo com a Eletros, os produtos que puxaram o desempenho deste segmento foram os refrigeradores, com vendas 17,89% superiores a 2005, as lavadoras automáticas, com crescimento de 14,9%, e os fogões, com vendas 10,6% maiores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.