Importância do banco dos Brics é tema do encontro de Dilma e Zuma

Criação de banco para os países do grupo traria opção de financiamento de projetos de infraestrutura 

Tânia Monteiro, enviada especial da Agência Estado,

28 de março de 2012 | 13h20

NOVA DÉLHI - Na reunião bilateral com o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, a presidente Dilma Rousseff concordou com o comentário feito pelo sul-africano da importância da criação de um banco de financiamento para os países dos Brics, que funcionaria como opção de financiamento de projetos de infraestrutura nos cinco países, para suprir a limitação investimento que existe hoje no Banco Mundial e no Fundo Monetário Internacional. "O presidente Zuma falou na necessidade de se transformar este novo banco em uma opção alternativa de financiamento ao Banco Mundial e ao FMI para os países do Brics", relatou o porta-voz da presidente Dilma, Thomas Traumann.

Zuma, segundo o porta-voz brasileiro, acredita que o banco possa já ser criado na próxima reunião dos Brics, na África do Sul, no ano que vem, para financiar projetos de desenvolvimento para os cinco integrantes do grupo.

"A presidente concordou e eles vão discutir a questão com os outros países na reunião (dos Brics desta quinta-feira)", prosseguiu o porta-voz do governo brasileiro, acrescentando que Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul podem receber financiamentos com características diferenciadas. A discussão sobre a criação do banco será aprofundada no encontro. Mas não foi revelada qual seria a proposta de composição do capital.

Dilma e Zuma comemoraram ainda a vitória da concessionária sul-africana ACSA que em parceria com empresa brasileira saiu vitoriosa no leilão do aeroporto internacional de Guarulhos, em São Paulo. Segundo Zuma, esta é a prova de como podem ser feitas parcerias entre empresas brasileiras e sul-africanas. "Este é um grande exemplo de como podem ser os nossos projetos, ou seja, como podem ocorrer novas oportunidades de parcerias, projetos e infraestrutura, como construção de estradas, aeroportos, barragens e usinas hidrelétricas", disse Zuma, conforme relato do porta-voz brasileiro.

O encontro entre Zuma e Dilma foi realizado no hotel Taj Palace, onde a delegação brasileira está hospedada e durou 50 minutos.

Tudo o que sabemos sobre:
bricsbancoencontrodilmazuma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.