Imposto da venda de carros pode passar para combustível

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, propôs nesta sexta-feira que seja feita uma transferência de impostos cobrados no momento da venda de automóveis para o combustível consumido ao longo da vida útil do veículo. A sugestão, que, segundo Furlan, é ainda apenas uma hipótese, seria uma das alternativas ao mercado interno de autos, compensando as empresas do setor pelas perdas de competitividade que são observadas nas exportações."O consumidor paga um imposto elevado quando adquire um veículo. Se parte desse imposto puder ser transferida ao longo da vida útil do veículo, ele pagará o mesmo imposto em etapas diferentes". O ministro insistiu que a medida não representaria um acréscimo de impostos, mas sim uma mudança na forma como o consumidor paga por um mesmo tributo. "Se essa tributação pudesse ser distribuída ao longo do tempo, nós certamente teríamos um aumento de demanda", afirmou. Questionado sobre se a estratégia não significaria desonerar os produtos em prejuízo ao consumidor, Furlan se atrapalhou na resposta e acabou afirmando: "É quase isso", sem fornecer outros detalhes. O ministro não comentou quais impostos poderia ser incluídos em uma medida como essa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.