Nacho Doce/Reuters
Nacho Doce/Reuters

Impostômetro alcança R$ 700 bilhões e terá nova metodologia a partir de sábado

Montante será alcançado 25 dias antes da data registrada no ano passado; entidade diz que número é reflexo do aumento da carga tributária e da inflação

Igor Gadelha, Agência Estado

14 Maio 2015 | 16h38

SÃO PAULO - O total de impostos, taxas e contribuições pagos pelos brasileiros neste ano deve alcançar R$ 700 bilhões às 8 horas desta sexta-feira, de acordo com estimativa do Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). O montante será alcançado 25 dias antes da data registrada no ano passado, o que, segundo a entidade, aponta aumento da carga tributária, reflexo da inflação e da revisão de desonerações e incentivos.

Na madrugada de sexta para sábado (16), o Impostômetro saltará para R$ 761 bilhões. A ACSP explicou que o aumento excepcional se deve a uma ampliação da base de dados utilizada, a partir de números oficiais divulgados pelo governo, que fará com que o painel do Impôstometro gire mais rapidamente. "Até agora, o marcador do Impostômetro avançava cerca de R$ 4 bilhões por dia. Agora, passará a avançar mais de R$ 4,4 bi (aumento de 10%)", afirma a associação em nota à imprensa. 


Segundo a ACSP, a atualização foi motivada pela recente mudança de metodologia de cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Com as novas fórmulas, os valores exibidos pelo painel passam a considerar novos dados de arrecadação de Imposto de Renda retido dos funcionários públicos estaduais e municipais, novas taxas e contribuições federais determinadas pela Lei nº 13.080/2015 (arrecadações de entidades e fundos como contribuições para o Sistema S, FNDE, Incra, DPC, Apex-BR e ABDI). 

Também foram incluídas arrecadações de municípios que não estavam sendo informadas ao Tesouro Nacional. "Com essa atualização na metodologia, acompanhando a divulgação dos dados oficiais, o painel continuará fazendo seu papel de ajudar a dar transparência do quanto é desembolsado dia a dia pelo contribuinte brasileiro", avaliou o presidente da ACSP, Alencar Burti. A entidade informou que, em breve, divulgará as marcas do Impostômetro alcançadas nos anos anteriores revisadas com a nova metodologia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.