Imprensa americana se divide entre GM e Toyota pela liderança

Balanço da companhia americana gera interpretações diversas; setor automobilístico é historicamente da GM

EFE

24 de janeiro de 2008 | 22h57

Um dia depois que a General Motors (GM) anunciou que vendeu 9.369.524 veículos em 2007, a imprensa americana está dividida sobre declarar a companhia ou a Toyota a líder mundial do automóvel. A prestigiosa revista Automotive News declarou nesta quinta-feira, 24, a Toyota a nova líder mundial em número de vendas - os japoneses estabeleceram suas vendas em 9,37 milhões - e colocou a GM em segundo lugar em nível internacional, a primeira vez em 76 anos que a empresa americana perdeu a liderança. A Automotive News justificou a decisão ao reduzir 483.925 veículos do total divulgado pela GM, o que deixa a fabricante americana com vendas de só 8.885.599 unidades em 2007. Segundo a revista, a GM incluiu de forma inadequada em seus números os 516.435 veículos produzidos pela marca chinesa Wuling. Mas como a GM só possui 34% da companhia, a publicação "seguiu a prática do setor de incluir as vendas unicamente de subsidiárias", nas quais as fabricantes têm maioria. A Automotive News disse que essa é a razão pela qual a Ford não inclui em seus números os resultados da japonesa Mazda, da qual possui 33,4%. Mas o jornal The Detroit News disse hoje que a "GM continua sendo a número 1", ao dar respaldo aos números de vendas anunciados pela fabricante americana e ao estabelecer em 9.366 bilhões de veículos as vendas de Toyota. Na quarta-feira, jornais como o The Wall Street Journal foram mais mornos e declararam que a GM e a Toyota estavam empatadas na disputa pelo setor automobilístico mundial.

Mais conteúdo sobre:
CarrosGMToyota

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.