Imprensa de Buenos Aires diz que Palocci é inimigo da Argentina

O ministro de Fazenda, Antonio Palocci, está sendo considerado pela imprensa argentina como o ?novo inimigo do governo de Kirchner no Brasil?, como titulou hoje o jornal Infobae. Durante os últimos três dias de cobertura argentina sobre o acordo assinado entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Néstor Kirchner, o ministro Palocci tem sido apontado como o homem que dificultou o entendimento e demonstrou fortes resistências contra a Argentina. Porém, nenhum jornal havia feito referências tão duras contra o ministro da Fazenda do Brasil, como o fez uma reportagem do Infobae, desta quinta-feira. O jornal afirma que ?o novo monstro do governo argentino no Brasil é um médico de 42 anos, de estilo afável, que se converteu no homem forte do governo? de Lula. E prossegue: ?Palocci foi acusado por vários membros da delegação que acompanhou Kirchner ao Rio de Janeiro como o grande culpado dos atritos com os brasileiros na elaboração do documento?. Fontes disseram ao jornal que ?Palocci não queria que seu País aparecesse muito pegado à Argentina em temas candentes como a negociação da dívida e a relação com o FMI?. A reportagem justifica a postura do ministro brasileiro ao mencionar que ?Palocci é um moderado que está aplicando uma política econômica ortodoxa, com a qual seu país se converteu no novo exemplo a seguir do Fundo e tem conquistado a confiança dos mercados, fato que se reflete na brusca diminuição da taxa de risco país?. Apesar do elogio, a reportagem não se esqueceu de que ?isso lhe custou uma retração de seu mercado interno e uma queda do PIB de 0,2% durante 2003, pelo qual sua política econômica está sendo questionada, inclusive por partidos aliados?. Para completar o perfil feito pelo Infoabe, a reportagem conclui que ?apesar de falar baixo e nunca mostrar-se com raiva, Palocci é um político com ambições (dizem que quer ser governador de São Paulo nas eleições de 2006) e gosta do poder. Tanto é assim que é o novo homem forte do governo, substituindo o chefe de Gabinete, José Dirceu, salpicado pelas denúncias de corrupção?.

Agencia Estado,

18 Março 2004 | 11h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.