Impureza em soja brasileira exportada preocupa chineses

Os chineses estão preocupados com a qualidade da soja que importam do Brasil, afirmou hoje o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, José Amauri Dimarzio. "Além de terra, os chineses detectaram resíduos de palha, sujeira e de produtos químicos usados no combate a insetos em cargas de soja brasileira", afirmou Dimarzio. Os chineses também informaram que encontraram ervas daninhas em cargas de soja compradas do Brasil. O ministério pediu ajuda para detectar a origem dos lotes que apresentam problemas. "Pedi a eles que, ao desembarcar a soja brasileira, seja feita uma análise dos lotes. Eles nos indicarão de quais portos saíram os lotes de soja com problemas. Queremos fazer a rastreabilidade da soja", explicou Dimarzio. Tão logo as análises sejam enviadas ao Brasil, técnicos do ministério irão à China para verificar os dados. A expectativa é que a viagem ocorra em setembro. Apesar da preocupação dos compradores, os embarques de soja não foram alterados, reafirmou Dimarzio. Paralelamente, o ministério pediu que os representantes dos exportadores convoquem seus associados para verificar a qualidade da soja. "Os técnicos do ministério também verificarão a classificação da soja para exportação. Queremos saber que tipo de controle é feito", afirmou. Ele lembrou que outros importadores não se queixaram, mas disse que a China também reclama do produto importado dos Estados Unidos e Argentina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.