Imunidade para BC argentino dá briga com ministério

A razão de fundo da briga entre o Ministério de Economia e o Banco Central da Argentina é o pedido da diretoria do BC para que o Congresso vote uma lei de imunidade para os diretores, no caso de serem obrigados a tomar decisões passíveis de constestações judiciais.Uma alta fonte do governo explica que isso se deve ao pânico dos diretores de que o plano da equipe econômica de trocar os depósitos por bônus para acabar com o ?corralito? termine na Justiça e que eles sejam processados ou até mesmo presos.O pedido do BC marca a profunda diferença que existe entre as duas equipes econômicas do governo argentino e que está sendo evidenciada a todo instante pelas várias idas e vindas do plano para abrir o ?corralito?.A fonte disse ainda que os boatos sobre a demissão do presidente do Banco Central, Mario Blejer, são uma destas evidências e que surpreenderam o BC, já que Blejer ?não está pensando em renunciar, ou pelo menos, não estava?, ponderou a fonte. No BC, pedidos de informação sobre eventual renúncia de Blejer são respondidos com desmentidos. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.