Inadimplência avança 7,5% de janeiro a outubro, diz Serasa

Segundo entidade, altos níveis de endividamento, peso da inflação e pressão dos juros estão entra as causas

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

14 de novembro de 2008 | 16h10

O índice de inadimplência do consumidor brasileiro avançou 7,5% de janeiro a outubro na comparação com o mesmo período de 2007, informou nesta sexta-feira, 14, a Serasa. A alta do Indicador de Inadimplência Pessoa Física em outubro alcançou 6,9% na comparação com mês equivalente de 2007, enquanto em relação a setembro, o avanço representou 4,9%. Veja também: Economista aconselha reduzir gastos no Natal e poupar 13º Pagamento do 13º salário injetará R$ 78 bi na economiaCaixa libera R$ 2 bi para financiar consumo  De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise  O ranking das pendências financeiras no acumulado do ano ante os dez primeiros meses de 2007 continua liderado pelas dívidas com bancos, com participação de 43,2% no indicador. Em seguida, aparecem as pendências com cartões de crédito e financeiras (33,1%); os cheques devolvidos (21,5%); e os títulos protestados (2,6%). A dificuldade dos consumidores para honrarem seus pagamentos na avaliação do assessor econômico da Serasa, Carlos Henrique de Almeida, vem dos altos níveis de endividamento, do peso da inflação sobre o orçamento doméstico e da pressão dos juros. Ele explica também que o hábito do brasileiro de recorrer a linhas mais de crédito mais caras como o cheque especial, também contribui com os níveis de inadimplências. Ele destaca que a trajetória do indicador até o final de 2008 dependerá do destino que o consumidor dará ao 13º salário. "Depende se vai usar o 13º para pagar dívidas, ou fazer novas", observou.

Tudo o que sabemos sobre:
Serasainadimplência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.