Inadimplência cresce 1% até setembro, aponta Serasa

A inadimplência dos consumidores do País cresceu 1% entre os meses de janeiro e setembro de 2004, na comparação com o mesmo período de 2003. Segundo informações divulgadas nesta sexta-feira pela Serasa, o resultado indica desaceleração, se comparado aos números dos nove meses iniciais dos anos anteriores. Em 2003, 2002 e 2001, foram constatadas altas de 5,3%, 30% e 34,8%, respectivamente, sempre com base no ano anterior. Em setembro de 2004, a pesquisa apontou queda de 2,4%, em relação a agosto e elevação de 1,2%, na comparação com setembro do ano passado. O Indicador Serasa de Inadimplência contempla registros de cheques devolvidos, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições financeiras, empresas do varejo, cartões de crédito e financeiras. De acordo com os técnicos da Serasa, a inadimplência no acumulado de 2004 ainda é influenciada pelo menor ritmo econômico no início do ano. Eles ressaltam que, desde 2003, verifica-se uma desaceleração do ritmo da inadimplência de pessoa física, em virtude do crescimento gradual da economia. Destacam ainda que o pagamento do 13º salário pode influenciar este movimento, embora a parcela maior do benefício deva seguir para o consumo. Quanto ao declínio da inadimplência no mês de setembro, o destaque da Serasa é a melhora do nível de atividade econômica verificada a partir de abril, que teria contribuído com a abertura de novas vagas de trabalho e com a melhor negociação salarial obtida por trabalhadores de algumas categorias, por meio da reposição de perdas inflacionárias. Também foi verificada a intenção de o consumidor optar por regularizar suas pendências financeiras, em vez de assumir novas dívidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.