Inadimplência cresce no Sul, Sudeste e Centro-Oeste

No primeiro semestre, a inadimplência dos títulos protestados cresceu em três das cinco regiões pesquisadas em todo o País. No Sudeste, o aumento foi de 58,5%, no Centro-Oeste houve acréscimo de 13,7% e no Sul, de 13 2%, na comparação com o mesmo período de 2001. As regiões Norte e Nordeste registraram quedas de 8,6% e 3,2%, respectivamente, segundo revela estudo regional da Serasa, empresa especializada em informações financeiras para decisões de crédito.O assessor econômico da Serasa, Carlos Henrique de Almeida, podera que o número da região Sudeste está inflado por causa das mudanças na legislação, válida só no Estado de São Paulo, que atribuiu as custas do protesto ao devedor. Por isso, muitos títulos antigos foram encaminhados para cobrança, o que distorceu a comparação.De toda forma, Almeida observa que, apesar do aumento da inadimplência nas regiões onde está a maior parte do consumo do País, a perspectiva não é ruim. "A inadimplência já está em um nível elevado e deverá crescer em ritmo menor a partir de agora."O economista afirma que a oferta de crédito diminuiu e mesmo com o recuo da taxa de juros básica, a Selic, determinada pelo Comitê de Política Monetária, o custo dos empréstimos não deverá recuar. "A Selic é importante para formar expectativas", justifica.Ele diz que a inadimplência é o componente da taxa cobrada tanto do consumidor como das empresas que mais pesa no custo do financiamento. Para o consumidor, representa 30% e para as empresas, 40%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.