Inadimplência das empresas recua 16,6%

A inadimplência das empresas caiu 16,6% entre janeiro e maio, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Serasa baseados em registros de cheques devolvidos, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições financeiras, empresas de varejo, cartões de crédito e financeiras. Para a Sera, a queda é resultado do crescimento da economia, que está "propiciando maior geração de recursos para as empresas pagarem seus compromissos".A maior atividade econômica teria contribuído também para o aumento das vendas, principalmente do setor industrial e de agronegócios, que foram favorecidas pela expansão das exportações. "A realização de novos negócios, o melhor controle de estoques e a renegociação de preços e prazos com fornecedores permitiram às empresas administrar o orçamento de modo mais equilibrado", avalia a Serasa. A Serasa ressalta que o aumento da carga tributária, as altas taxas de juros e o reajuste das tarifas públicas continuam sendo os maiores desafios enfrentados pelas empresas neste ano, pois dificultam o pagamento de dívidas.O levantamento sobre a inadimplência mostra que a maior participação (45%) nesse processo foi dos títulos protestados. No entanto, o número ficou abaixo da participação de 49% registrada em igual período de 2003. A segunda maior participação foi a dos cheques sem fundos, com aumento de 36% nos primeiros cinco meses do ano passado para 39% entre janeiro e maio de 2004, quando o valor médio atingiu R$ 1.139.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.