Inadimplência de empresas aumenta 6,5% em fevereiro

A inadimplência das empresas brasileiras aumentou 6,5% em fevereiro, ante o mesmo período de 2006, segundo estudo divulgado nesta quarta-feira, 26, pela Serasa. Em relação a janeiro deste ano, porém, a inadimplência de pessoas jurídicas apresentou queda de 14,9%. No primeiro bimestre deste ano, houve crescimento de 8,2% sobre o período compreendido entre janeiro e fevereiro do ano anterior.Quanto ao recuo verificado em janeiro deste ano, os técnicos da Serasa avaliam que o movimento é justificado pelo menor número de dias úteis no segundo mês do ano, por conta do carnaval. Os analistas da entidade indicam que o incremento no primeiro bimestre se deu pela elevação da oferta de crédito concedida às empresas e também devido à valorização do real frente o dólar, o que resultou em elevação da competitividade dos produtos importados.Sobre o cenário futuro, os analistas destacam que a inadimplência será influenciada pela aprovação de um projeto de lei que trata do cadastro positivo sobre o crédito. "Essa nova metodologia possibilitará o estabelecimento de políticas mais adequadas aos diversos tomadores e crédito e, portanto, maior segurança nessas transações, com redução de custos e ampliação do volume, abrangência e prazo, tanto para pessoa física quanto para jurídica", afirmam.A Serasa informou que, entre as modalidades pesquisadas, os títulos protestados apresentam a maior participação com 39,5% do total, ante 40,5% no mesmo mês de 2006. O valor médio ficou em R$ 1.399,30 das anotações negativas no primeiro bimestre de 2007.O segundo indicador em representatividade das empresas foi o dos cheques sem fundos com uma participação muito próxima aos protestos, com redução de 39,6% em fevereiro de 2006, para 39% no mês passado. O valor médio foi de R$ 1.158,88.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.