R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Inadimplência de pessoa física cai 0,3% no 1º quadrimestre

A inadimplência das pessoas físicas ficou próxima da estabilidade, com variação negativa de 0,3%, no período de janeiro e abril, em relação ao mesmo período do ano passado. O levantamento foi feito pela Serasa, sendo que o indicador da empresa contempla os registros de cheques devolvidos, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições financeira, empresas do varejo, cartões de crédito e financeiras em território nacional.De acordo com os técnicos da Serasa, a ligeira queda na inadimplência foi motivada pelo resultado da expansão dos empréstimos ao consumidor, usados para "aliviar a vida financeira", o que representa intenção dos compradores de optar pela contratação de crédito pessoal para o complemento da renda das famílias e para pagamento de dívidas. As operações consignadas em folha de pagamento, com taxa de juros em torno de 2% ao mês, foram o destaque para a contratação de empréstimos.O estudo da companhia aponta que, para o consumidor, o desemprego, a queda da renda, os juros elevados, o aumento das tarifas públicas, a não-correção da tabela de Imposto de Renda e a criação de novos impostos e taxas formam um conjunto de fatos determinantes para a menor renda disponível, o que dificulta o pagamento de compromissos assumidos anteriormente. O levantamento mostra ainda que a administração e o equilíbrio do orçamento doméstico foram os maiores desafios para o consumidor neste primeiro quadrimestre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.