seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Inadimplência de pessoa física é a maior desde 2002, diz BC

Taxa de juros média do crédito caiu em janeiro para pessoa física e passou de 58,1% ao ano para 55,1%

FABIO GRANER E FERNANDO NAKAGAWA, Agencia Estado

26 de fevereiro de 2009 | 11h23

A inadimplência no crédito concedido pelas instituições financeiras subiu de 4,4% em dezembro de 2008 para 4,6% em janeiro deste ano, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira, 26, pelo Banco Central. Esse é o maior patamar registrado desde agosto de 2007, quando a inadimplência média ficou em 4,7%. Esse aumento foi liderado pelo segmento das pessoas físicas, cuja parcela das operações com atraso superior a 90 dias subiu de 8% para 8,3%.   Segundo as séries históricas do BC, esse é o maior nível de inadimplência com operações de pessoas físicas desde maio de 2002, quando o porcentual era de 8,4%. No segmento pessoas jurídicas, a inadimplência subiu de 1,8% para 2%, atingindo o maior patamar desde novembro de 2007, quando estava em 2,2%.   Veja também: Empresas usam menos crédito e puxam queda no financiamento Alta no número de desempregados em janeiro é recorde na Grande São Paulo Entenda o Fundo de Amparo ao Trabalhador Falta dinheiro no FAT para ampliar seguro-desemprego As medidas do emprego De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise A taxa de juros média do crédito com recursos livres caiu em janeiro para 42,4% ao ano, ante 43,3% em dezembro. Essa redução foi determinada, basicamente, pelo segmento pessoa física, em que a taxa de juros média passou de 58,1% ao ano em dezembro para 55,1% em janeiro. No segmento pessoa jurídica, a taxa de juros média subiu de 30,7% para 31% ao ano.O spread bancário (diferença entre a taxa de captação dos recursos pelo banco e a taxa final cobrada no empréstimo) teve uma queda geral de 0,3 ponto porcentual ante dezembro, atingindo 30,4 pontos porcentuais ao ano. O spread médio da pessoa física recuou de 45,2 pontos para 43,6 pontos. Já o spread médio da pessoa jurídica subiu de 18,4 pontos para 18,8 pontos porcentuais.CréditoDe acordo com os dados do BC, o estoque de crédito do sistema financeiro nacional cresceu 0,2% em janeiro, atingindo R$ 1,229 trilhão. Em dezembro, o saldo de operações de crédito era de R$ 1,227 trilhão. Com o resultado de janeiro, o crédito passou de 41,1% do Produto Interno Bruto (PIB) em dezembro para 41,2% do PIB em janeiro.As operações de crédito com recursos livres tiveram queda em janeiro de 0,2% totalizando R$ 870,3 bilhões. A queda foi determinada principalmente pelo segmento pessoa jurídica, cujo recuo do estoque de operações foi de 1,4%, para R$ 470,9 bilhões. No segmento pessoa física, houve expansão de 1,3% do crédito, que alcançou R$ 399,4 bilhões.O crédito com recursos direcionados cresceu em janeiro 1,1% totalizando R$ 359,5 bilhões. No trimestre encerrado em janeiro, o crédito com recursos direcionados cresceu 7,1%, com destaque para as operações do BNDES, que tiveram alta de 8,7%. No segmento livre, o desempenho do trimestre foi bem mais fraco, com alta de 2,5%.O prazo médio das operações de crédito recuou em janeiro para 375 dias corridos. Em dezembro, o prazo médio era de 379 dias e em outubro, de 385 dias. Nos últimos 12 meses, no entanto, o prazo médio está maior, já que janeiro do ano passado o indicador estava em 371 dias corridos.Nas operações com pessoa física o prazo médio passou de 490 para 484 dias de dezembro para janeiro. Nas pessoas jurídicas, o prazo recuou de 302 para 297, no mesmo período.

Tudo o que sabemos sobre:
créditoinadimplênciaspread

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.