Inadimplência do consumidor tem a maior queda desde maio

Melhora no cenário econômico e Dia dos Pais colaboram com a retração de 5,1%, aponta pesquisa da Serasa

estadao.com.br,

14 de setembro de 2009 | 10h43

A recuperação da economia colaborou para a inadimplência do consumidor registrar queda de 5,1% em agosto, na comparação com o mês anterior, e representar a maior queda mensal verificada desde maio deste ano, revela pesquisa da Serasa divulgada nesta segunda-feira, 14. Segundo o estudo, além da melhora na conjuntura econômica, com a divulgação do aumento do PIB para 1,9% no segundo trimestre, o efeito calendário foi um dos responsáveis pela retração do indicador. Mesmo com o Dia dos Pais - a melhor data comemorativa do varejo este ano -, o mês de agosto, que teve dois dias úteis a menos do que julho, não alavancou alta na inadimplência mensal, avaliam os analistas.

 

Veja também:

especialUm ano após auge da crise, economia se recupera

especialPIB cresce 1,9% e Brasil sai da recessão

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialDicionário da crise 

especialComo o mundo reage à crise

 

Na análise do acumulado de janeiro a agosto este ano comparado ao mesmo período em 2008, a inadimplência do consumidor registrou crescimento de 9,5%, patamar mais baixo desde o final do primeiro trimestre, ápice da crise financeira. De acordo com os analistas, a recuperação econômica, a partir da metade de abril, com queda dos juros, recuperação do emprego, maior confiança do consumidor e retorno do crédito, tem contribuído para o decréscimo gradual da inadimplência no período.

 

Dívidas com bancos representam 44,2% da inadimplência

 

As dívidas dos consumidores com os bancos representaram 44,2% de participação no ranking de representatividade da inadimplência no mês de agosto. No mesmo mês em 2008, esse percentual foi de 43,2%

 

As dívidas com cartões de crédito e financeiras (36,5%), os cheques sem fundos (17,4%) e os títulos protestados (1,9%) vêm na sequência de representatividade da inadimplência no último mês.

 

O valor médio das dívidas com cheques sem fundos cresceu 39,7% de janeiro a agosto, ante igual

período de 2008. No caso dos títulos protestados, o crescimento foi de 16,8%, na média. Já os cartões

de crédito e financeiras e os débitos com bancos tiveram uma queda de 10,1% e 2,9%,

respectivamente, no valor médio

 

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor tem como base o credor pesquisado.

Tudo o que sabemos sobre:
inadimplênciaagostoSerasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.