Inadimplência dos consumidores cresce 1,6% em janeiro

A inadimplência dos consumidores registrou um ligeiro crescimento, de 1,6%, no início do ano. É o que revelou nesta quarta-feira, 14, o Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Física sobre o mês de janeiro, ante dezembro de 2006. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o indicador da Serasa, empresa de pesquisas, informações e análises econômico-financeiras, apontou alta de 5,1% na inadimplência das pessoas físicas.Na visão dos analistas da Serasa, o crescimento da inadimplência em janeiro deste ano está relacionado ao aumento de vendas parceladas em prazos mais longos. "Isso foi verificado no Dia das Crianças do ano passado e começa a refletir a inadimplência nas vendas do final do ano. As despesas com impostos, como IPTU e IPVA, e as matrículas escolares também já impactam o orçamento do consumidor", avaliaram.Ainda assim, segundo analistas da Serasa, a alta da inadimplência está em um patamar "muito inferior" ao da evolução do crédito. Para os analistas, a inadimplência poderia ter sido ainda maior. "Vale destacar que as melhores condições do consumidor no final de 2006, em termos de renda e emprego, atenuaram um crescimento maior da inadimplência", complementam.As dívidas com bancos, em janeiro deste ano, representaram a maior taxa de inadimplência dos consumidores, com 36,2%. Em dezembro de 2006, quando também liderou a lista de representatividade do indicador, este porcentual havia sido de 35,3%. Em seguida, aparecem as dívidas com cartões de crédito e financeiras, que registraram uma participação de 31,6% no indicador. No mês anterior, este índice foi de 32,2%.Na terceira colocação estão os cheques sem fundo, com representatividade de 29,5% em janeiro deste ano, contra 29,7% verificado em dezembro do ano passado. Por fim, os protestos, apontados como menor peso na inadimplência das pessoas físicas, apresentaram, em janeiro, participação de 2,8% no indicador, mesmo índice apurado em dezembro.De acordo com o indicador da Serasa, o valor médio de cheques sem fundo das pessoas físicas, em janeiro de 2007, foi de R$ 595,09, registrando alta de 8,1% ante janeiro de 2006. Sobre as dívidas com bancos, também em janeiro deste ano, a Serasa apontou valor médio maior: R$ 1.314,52 (+17,6%, frente a janeiro do ano passado). Com relação às dívidas com cartões de crédito e financeiras foi registrado valor médio de R$ 339,59 (+13,5% ante janeiro de 2006). Os registros de títulos protestados, ainda no mesmo período, ficaram em R$ 819,52, com alta de 2,7% com relação a janeiro do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.