Inadimplência é maior em loja de linhas e aparelhos telefônicos

Os clientes das lojas de linhas e aparelhos telefônicos e das de materiais de eletricidade foram os que, em maio deste ano, apresentaram o maior índice de inadimplência, com a devolução de 7,84% do total de cheques por eles emitidos. Foi o que constatou a pesquisa Índice de Bons Pagadores da Telecheque.A empresa atribui o maior risco de inadimplência, especialmente no setor de telecomunicações, à popularização dos celulares, sobretudo dos pré-pagos. Segundo a Telecheque, as compras de celulares são feitas com maior prazo para pagamento e, além disso, o valor médio dos cheques está em torno de R$ 150,00, ante R$ 90,00 no varejo em geral.Por segmento, ficou em segundo lugar em inadimplência o ramo de papelarias, livrarias e materiais para escritório, com 5,14% de cheques devolvidos, seguido pelo de calçados esportivos, com 3,1%.?Bons pagadores?Em sentido inverso, o comércio de automóveis lidera o ranking de "bons pagadores", pois 97,91% dos cheques emitidos no segmento foram honrados e apenas 1,7% deles, devolvidos. A Telecheque observa que, como o automóvel é um bem alienável, o consumidor tem mais cuidado de honrar o pagamento. Além disso, o poder aquisitivo de quem compra um carro é maior. Ademais, nesse segmento, o valor médio dos cheques é de R$ 1.400,00, o que obriga as lojas e concessionárias a serem mais criteriosas no seu recebimento, identificando melhor o consumidor e levantando seus dados cadastrais.Em segundo lugar como "melhores pagadores", em maio, ficaram os clientes do segmento de materiais de construção e comércio de ferragens, com 97,89% de compras com cheques honradas e inadimplência de 1,69%, e, em terceiro, as lojas de tecidos, com 97,83% de adimplência e 1,83% de inadimplência.

Agencia Estado,

23 de junho de 2004 | 16h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.