Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Inadimplência fica estável no comércio paulista

A inadimplência do consumidor da Região Metropolitana de São Paulo caiu em julho para 49%, contra o recorde de 52% em junho. Em julho de 2004, era de 48%. Segundo nota da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio), a queda da inadimplência deve-se, em parte, ao recebimento das férias e ao início da liberação da primeira parcela do 13º salário.A expectativa para os próximos meses não é positiva. "Há o risco de o índice voltar a aumentar porque, provavelmente, o endividamento está concentrado entre aqueles com menor capacidade de pagamento", diz o documento. O federação diz que a fraca recuperação do emprego e da renda neste ano pode ter forçado os consumidores a assumirem dívidas além do poder de compra. Já o número de consumidores endividados manteve-se praticamente estável em julho se comparado com o mês anterior, passando de 56% para 57%. Em julho de 2004, 65% dos consumidores possuíam algum tipo de dívida. O queda do comprometimento de renda com dívidas foi um dos dados positivos da pesquisa: 37% dos recursos mensais são para pagar as contas. Em junho, eram 39%. Segundo a Fecomercio, o maior pagamento das dívidas mostra cautela do consumidor em relação aos rumos da economia.A pesquisa registra ainda um aumento da intenção de os consumidores quitarem as dívidas: 68% contra 65% em junho. Em julho do ano passado esse era o objetivo de 60% dos consumidores paulistas. Para a federação, as férias de julho e o 13º salário provocaram uma melhora na expectativa para o pagamento dos débitos. A pesquisa é feita mensalmente com cerca de mil consumidores sem títulos protestados.

Agencia Estado,

12 de julho de 2005 | 13h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.