Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Inadimplência no BB cai para 3,4% no 3º trimestre

A inadimplência (operações vencidas há mais de 60 dias) caiu para 3,4% da carteira do Banco do Brasil no terceiro trimestre de 2007, ante 3,8% registrado no mesmo período do ano anterior. As operações classificadas nos níveis de risco AA, A, B e C responderam por 90,7% da carteira do BB, em linha com os 91,5% observados no Sistema Financeiro Nacional (SFN). O risco médio da carteira da instituição foi de 5,4%.O faturamento com cartões atingiu R$ 12,3 bilhões no terceiro trimestre, registrando crescimento de 30,8% em relação ao mesmo período de 2006, e agregando R$ 542 milhões às receitas do Banco do Brasil. A base de cartões de crédito cresceu 56,1% em relação a setembro de 2006, alcançando 17,8 milhões de cartões emitidos. O BB registrou R$ 172,2 bilhões captados em depósitos totais. Em relação ao mesmo período do ano anterior, as captações de poupança cresceram 27,2 % e as de depósito a prazo 15,7%.Receitas operacionaisAs receitas operacionais do Banco do Brasil totalizaram R$ 7,7 bilhões no terceiro trimestre de 2007 - uma evolução de 9,3% em relação ao mesmo período do ano passado. As despesas administrativas, impactadas pelo Plano de Afastamento Antecipado (PAA) e pela reestruturação da Caixa de Assistência dos Funcionários (Cassi), totalizaram R$ 4,2 bilhões em setembro - um crescimento de 21,6%. Com isso, o índice de eficiência no trimestre foi de 54,2%, ante 48,7% registrado em igual período do ano anterior, e o de cobertura das despesas de pessoal com as receitas de prestação de serviço 102%, contra 115,8% no mesmo período de 2006.No terceiro trimestre, o BB fez a reestruturação do plano de saúde administrado pela Cassi, o que implicou contabilização de despesa extraordinária de R$ 266 milhões líquidos de impostos. Já o PAA, realizado para funcionários com mais de 50 anos de idade e 15 anos de contribuição à Previ, gerou uma despesa de R$ 93 milhões líquidos em impostos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.