Inadimplência no crédito imobiliário fica em 1,9%

A inadimplência no crédito imobiliário - considerando contratos com mais de três prestações em atraso - se manteve estável no primeiro semestre, de acordo com pesquisa divulgada ontem pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Em junho, a inadimplência no setor chegou a 1,9%, taxa muito próxima aos 2% do fim de 2011.

O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2012 | 03h08

"O crédito imobiliário continua com a menor inadimplência em comparação com as outras carteiras de crédito", disse o presidente da Abecip, Octavio de Lazari Junior. Em junho, a inadimplência no cheque especial ficou em 11,6%, enquanto a do crédito pessoal foi de 5,7% e a de veículos, 6%, segundo dados do BC.

O valor médio dos empréstimos para compra de imóveis no País cresceu de R$ 168 mil em 2011 para R$ 184 mil no primeiro semestre de 2012, segundo a Abecip. No fim de junho, esse montante representava em média 63,2% do total da moradia.

A relação entre o valor financiado e o valor dos imóveis se manteve praticamente estável nos últimos anos, passando de 61% em 2009 para 63% em 2011. "Isso mostra que o brasileiro ainda é bastante conservador no financiamento de imóveis. Ele procura usar poupança e FGTS para dar entrada, buscando financiar o menor valor possível", avalia Lazari. / CIRCE BONATELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.